Publicidade

Publicidade

28/09/2012 - 10:36

Para inglês ver

Compartilhe: Twitter

Brasil x África do Sul, no Morumbi, não valia nada. Se um pai resolvesse levar a esposa e dois filhos para ver o jogo, gastaria 240 reais. E encarar, assim, o desconforto para ir e voltar ao Morumbi, uma quantia razoável para estacionar o carro e a chatice de não ter lugar marcado para sentar.

Veja só quanta diferença.

Na minha caixa de entrada, hoje, recebi um email marketing para eu comprar ingressos para o jogo oficial das Eliminatórias para a Copa de 2014, quando o English Team recebe San Marino em Wembley. O ingresso, mesmo convertendo moeda a moeda sem levar em conta o poder aquisitivo de cada um dos países, é mais barato na Inglaterra. Com 60 libras, cerca de 200 reais, dois adultos e duas crianças pegam um confortável trem até Wembley e assistem ao jogo no mais confortável dos estádios, coberto para a torcida, quentinho, gramado impecável e com lugar marcado.

E, convenhamos, time por time, este Inglês deve ser um dos piores dos últimos tempos, ou de todos. Ou seja, promoção de ingressos é o mínimo. Comprando, o torcedor ainda ganha prioridade para os ingressos do amistoso contra o Brasil.

O que mais espanta este blogueiro é que a Seleção ainda reclama. Segundo matéria de Marcel Rizzo na última quinta na Folha de São Paulo, os dirigentes acreditam que o problema é que o ingresso é muito barato. Reproduzo trecho da reportagem:

Segundo Del Nero(Marco Polo, vice-presidente da CBF), a ISE e a Pitch (empresas que negociam os amistosos da Seleção) tiveram prejuízo nos amistosos organizados neste mês. No dia 7, o Brasil bateu a África do Sul (1 a 0) em São Paulo e, no dia 10 derrotou a China (8 a 0) em Recife. Os estádios não encheram.

“Os valores dos bilhetes no Brasil são muito baixos. Eles tiveram prejuízo, não é algo tão simples”, disse Del Nero. Representantes da empresa não foram encontrados.

Pois é.

Imagina na Copa…


Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
11/05/2012 - 12:27

Wembley, um campo de futebol

Compartilhe: Twitter

O lendário estádio de Wembley, em Londres, não recebe jogos da Premier League. Nenhum dos vários times londrinos manda seus jogos lá. Pelo contrário, numa cidade relativamente apertada como a capital inglesa, todos usam seus estádios próprios, como Stamford Bridge, Emirates, White Hart Lane, Upton Park, Craven Cottage e The Den (entre muitos outros).

De mandante mesmo, apenas a Seleção Inglesa, que disputa amistosos e jogos das Eliminatórias. Tudo para ser um elefante branco com capacidade para 90 mil pessoas. Mas veja que interessante a agenda só de FUTEBOL (futebol, deixa shows e outros esportes para lá) de Wembley nos últimos e próximos dias.

14 e 15 de abril

Disputadas em um jogo só, as duas semifinais da Budweiser FA Cup, a Copa da Inglaterra, tiveram como sede Wembley. No dia 14, os dois grandes times de Liverpool, cidade a quase 300 quilômetros de Londres. No clássico, o Liverpool venceu o Everton por 2 x 1. Público pagante: 87 mil pessoas. No dia seguinte, dois times de Londres fizeram a outra semifinal. O Chelsea venceu o Tottenham por 5 x 1. Público pagante: 85 mil pessoas.

5 de maio

A final da mesma FA Cup foi vencida pelo Chelsea, por 2 x 1 contro o Liverpool. Público pagante: 89 mil pessoas.

12 de maio

The FA Carlsberg Trophy, acredite, é um campeonato amador (ou semi profissional) de futebol na Inglaterra.  266 times participaram este ano, com equipes que flutuam em Ligas que podem ser consideradas como quinta a oitavas divisões, por assim dizer. Neste sábado o York City enfrenta na final o Newport County em Wembley. Como curiosidade, na final do ano passado, vencida por 1 x 0 pelo Darlington contra o Mansfield Town teve público de 24 mil pessoas. Os ingressos custam de 15 a 30 libras.

13 de maio

The FA Carlsberg Vase é uma competição parecida com esta acima, mas com clubes ainda abaixo da oitava divisão (licença poética, já que não tem esse nome). São clubes amadores nas piores colocações do sistema geral inglês, conhecido como National League System. É como meu time que joga às quintas-feiras ter a chance de jogar uma final no Maracanã. Este ano, Dunston UTS e West Auckland Town farão a final em Wembley. Ano passado, com um público pagante de 8 mil pessoas, o Whitley Bay, maior vencedor do torneio com 4 conquistas, venceu o Coalville Town por 3 x 2. Ingressos a 25 libras.

19 de maio

A segunda divisão na Inglaterra tem um jeito próprio de classificar equipes para a Premier League. Os dois primeiros (que este ano foram Reading e Southampton) sobem direto. a Terceira vaga na elite é decidida entre o terceiro, o quarto, o quinto e o sexto colocados na Segunda Divisão. Eles jogam uma semifinal (terceiro x sexto, quarto x quinto) e uma final. Essa final é disputada em Wembley todos os anos. Desta vez, o West Ham, time londrino, enfrenta o Blackpool. No ano passado, na partida em que o Swansea bateu o Reading por 4 x 2, o público pagante foi 86 mil pessoas.

26 de maio

O acesso da terceira divisão para a segunda (League One para Championship) tem o mesmo sistema. Classificam direto os dois primeiros e os quatro seguintes disputam playoff com os dois vencedores fazendo a grande final em Wembley. Ano passado este jogo não foi disputado em Wembley por conta da final da Champions League, mas a final de 2010 entre Millwall e Swindow Town teve público de 73 mil pessoas. O dupla que fará a final em 2012 ainda não está definida.

27 de maio

O acesso da quarta divisão para a terceira (League Two para League One) segue o mesmo procedimento. Então, no dia 27 de maio, times da quarta divisão entrarão em Wembley para decidir o terceiro classificado para a terceira divisão. Em 2010, o Rotherham United perdeu por 3 x 2 para o Degenham & RedBridge, time de Londres, com público de 32 mil pessoas.

2 de junho

A Inglaterra recebe a Bélgica para o último amistoso antes da Eurocopa. Ingressos já estão esgotados.

Enfim…

Wembley receberá nos próximos 15 dias jogadores de todas as divisões da Inglaterra, de salários diversos, que vão de jogadores que não ganham um tostão a Wayne Rooney, que ganha uma fortuna por mês. Todos eles têm em comum o que eu e você temos: paixão pelo esporte. E Wembley é o cenário de sonho, não importa seu salário.

Fico pensando aqui no nosso simpático e central Pacaembu e como ele vai sobreviver ao Itaquerão, ao Novo Palestra e ao Morumbi. Talvez seja só uma questão de organizar calendários e promover jogos e torneios diferentes. Só fico na dúvida se o brasileiro gosta tanto de futebol como os ingleses gostam.

Acho que não…

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: ,
14/10/2009 - 22:21

Uma noite em Wembley

Compartilhe: Twitter

– Os portões do estádio de Wembley ainda estão fechados quando o locutor oficial fala: ‘Este é um jogo que corre de acordo com as regras da FIFA e, por isso, não haverá venda de bebidas alcoólicas dentro do estádio. Sentimos muito.’

– Mais ou menos assim, pedindo desculpas, os portões do novo estádio Wembley, casa da seleção inglesa de futebol, se abriram para a última partida válida pelas Eliminatórias, contra a Bielo-Rússia.

– Um estádio impecável. Coberto para todos os torcedores (descoberto apenas no gramado), com cadeiras numeradas e capacidade para 90 mil pagantes. Acesso fácil, metrô tanto da Jubilee como Metropolitan lines.

– Dentro, propaganda intensa da campanha da Inglaterra para sediar a Copa de 2018. No telão, o tempo de jogo, o replay das jogadas, e os melhores momentos no intervalo. O futebol como ele deveria ser no estádio (ninguém perde nada).

– Sem álcool, mas com apostas. Legais, diga-se. Ao lado dos belos sanduiches (comi um cheeseburguer, batatas e refri por 7 libras – calcula aí que tô com preguiça), vários quiosques da Betfred. Como eu vou a fundo na blogagem, resolvi colocar 5 libras que Rio Ferdinand (criticado a semana toda) marcaria o primeiro gol. Calma que eu posso explicar. Essa aposta pagava 25 libras pra 1 libra apostada. Mas tinham várias outras, como a trivial quem vence o jogo. Ou qual será o placar. E as filas para jogar são maiores do que as para comer sanduíche.

– Enquanto isso, no som ambiente, claro, rock e pop. Do Killers do Muricy ao Michael Jackson. No telão, Noel Gallagher fala que você deveria jogar futebol. Sim, a FA, Associação de Futebol da Inglaterra, faz propaganda do esporte. E todos eles divulgam o amistoso contra o Brasil em novembro, ‘number one team in the world’.

O jogo: Inglaterra classificada para a Copa de 2010. Bielo-Rússia. Bem, a Bielo-Rússia, nunca fez mal a ninguém… English Team sem Rooney e Gerrard, seus dois principais jogadores. Mas com os locais do Chelsea Lampard e Terry, com o ameaçado Rio Ferdinand e com vários outros precisando mostrar serviço para Capello, como Barry, Agbonlahor e Crouch. A escalação, com o áudio oficial do estádio, aqui. E o hino do Jenson Button e do Lewis Hamilton, cantado pelo estádio todo, em outro áudio, aqui.

– E foi exatamente o trio que fez o primeiro gol. Passe do primeiro para o segundo que cruzou para o terceiro dar um carrinho e marcar. Perdi 5 pounds, mas vi a jogada mais legal do jogo.

– No banco, a sombra de David Beckham. No banco, exatamente, não. Capello mandou Becks aquecer aos 15 do primeiro tempo. Ele passou o primeiro tempo e o intervalo inteiro aquecendo. E… os 13 minutos iniciais do segundo tempo até entrar no lugar de Lennon. Deve ser o novo recorde (inglês) de tempo de aquecimento.

– Entra Beckham, ovacionado, pega na bola pela primeira vez e dá o passe para o segundo gol de Wright-Phillips. E, depois, um show de toques de bola refinados dele. O torcedor folclórico ao meu lado diz, impressionado e desanimado ao mesmo tempo, bem do jeito inglês, pela classe do jogador: ‘É triste, mas ele é o que temos de melhor ainda. Precisamos dele. É difícil admitir. Beckham, mais tarde, seria escolhido o jogador da partida. Por 50 minutos de aquecimento e 30 minutos de jogo. Impecável em ambos.

– Ainda saiu um terceiro gol, de Crouch, que vai acabar levando uma vaguinha de Capello assim. Capello que, em Wembley, fiuca numa área técnica solitária, longe do banco e dos assistentes. O terceiro gol fez a alegria do não lotado Wembley que recebeu ‘apenas’ 76897 pagantes (setenta e seis mil, oitocentos e noventa e sete). Aliás, detalhe, talvez pela classificação antecipada, tinha ingresso na semana do jogo para vender no site oficial (thefa.com/tickets) e retirar nas bilheterias.

– Segundo o policial, dos 77 mil (só somar os jogadores e a comissão técnica), mais ou menos metade iria embora de metrô (tube). Todos na mesma estação (Wembley Park), inclusive este blogueiro. E tudo correu na maior calmaria, com policias gentis, montados, pendindo calma que logo todos embarcariam nos trens extras enviados ao estádio. Meia hora depois do apito final, cerca de 22h30, eu já estava em casa (Wembley não é exatamente perto). Que horas começam os jogos da Globo no Brasil mesmo?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , ,
Voltar ao topo