Publicidade

Publicidade

17/01/2013 - 14:58

Os salários, 10 anos depois

Compartilhe: Twitter

Interessante a comparação que está na última revista bimensal francesa Surface Football Magazine. Eles listaram os seis maiores salários do futebol mundial em 2012 e os seis maiores salários do futebol em 2002.

Em 2012 (fonte Le Parisien):
1) Samuel Eto’o – 20 milhões de euros/ano
2) Zlatan Ibrahimovic – 14,5 milhões de euros/ano
3) Wayne Rooney – 13,8 milhões de euros/ano
4) Yaya Touré – 13 milhões de euros/ano
5) Sergio Aguero – 12,5 milhões de euros/ano
6) Didier Drogba – 12 milhões de euros/ano

Em 2002 (fonte Le Monde):
1) Álvaro Recoba – 8,15 milhões de euros/ano
2) Roy Keane – 7,31 milhões de euros/ano
3) Raúl – 6,52 milhões de euros/ano
4) Rivaldo – 6,46 milhões de euros/ano
5) Batistuta – 6,25 milhões de euros/ano
6) Zidane – 5,77 milhões de euros/ano

O que mudou nestes 10 anos?

Primeiro e mais óbvio é que os seis salários dobraram.

Mas outras coisas me intrigam.

A lista de 2002, até por ter os “melhores do mundo” e campeões do mundo Rivaldo e Zidane, é bem mais pesada em termos de craques. Não é exagero dizer, com toda a importância e classe de Touré ou potencial de Aguero, que paga-se mais por jogadores menos espetaculares.

Outro fato interessante é que a atual lista tem 3 africanos, 2 europeus e um sul-americano sendo que a anterior, 3 europeus e 3 sul-americanos.

E observe também quem está pagando essa grana toda. Apenas o Manchester United aparece nas duas listas, com Roy Keane e Wayne Rooney. Na lista de 2002, Milan com Rivaldo, Real Madrid com Raúl e Zidane, Inter com Recoba mostravam a imponência, ao lado do Man United, das grandes camisas da história do futebol. Apenas a Roma de Batistuta poderia ser um peixe fora d’água. Não tão fora d’água assim também.

A atual lista tem um time chinês, um russo, o City (dois membros) e o PSG. Quatro novos ricos da bola. O peixe fora d’água é justamente o Manchester United.

E então, com toda a crise mundial, com tudo o que acontece no mundo off futebol, eu volto com a mesma pergunta:

O que mudou nestes 10 anos?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , , , , ,
21/03/2012 - 08:14

Os maiores artilheiros

Compartilhe: Twitter

Messi se tornou o maior artilheiro da história do Barcelona ontem ao marcar seu gol 234 com a camisa catalã. Confesso que fiquei curioso e fui buscar em outros grandes clubes essa estatística para ver o tamanho de uma conquista dessa, ainda mais aos 24 anos.

O maior artilheiro da história do Real Madrid é Raul. Ele passou 17 anos no clube e marcou 323 gols. Interessante o fato de que ele segue na ativa, como Messi, o que dá um cartaz ainda maior ao futebol atual.

Barcelona e Real Madrid têm seus maiores artilheiros na ativa.

Na Inglaterra, o Manchester United vive situação parecida. Se o maior artilheiro da história do clube foi Bobby Charlton, com 249 gols, não será surpresa se Wayne Rooney, aos 26 anos e com 174 gols pelo clube, ultrapassar o lendário Sir. Uma outra particularidade dos Red Devils é que outros 2 jogadores na ativa, Paul Scholes e Ryan Giggs, figuram no top 10 dos artilheiros de todos os tempos do clube.

Situação muito diferente vivem os times italianos. Milan e Inter vivem do passado em matéria de artilheiros históricos. O Milan ainda mantém Pipo Inzaghi no top 10 mas sem nenhuma chance de alcançar o sueco Gunnar Nordahl que na década de 50 marcou 221 gols pela equipe. Na Inter, o mais próximo de ser atual na lista é o aposentado Cristian Vieri, mas muito abaixo de Giuseppe Meazza, o líder.

Para ilustrar, veja o futebol brasileiro e a lista dos maiores artilheiros de gols marcados em apenas um clube do site RSSSF:

Santos: Pelé, 1091 gols
Vasco: Dinamite, 617 gols
Flamengo: Zico: 502 gols
Inter: Carlitos, 325 gols
Fluminense: Waldo, 314 gols
Botafogo: Quarentinha, 313 gols
Corinthians: Claudio, 305 gols
Palmeiras: Heitor, 285 gols
Grêmio: Alcindo, 264 gols
Atlético-MG: Reinaldo, 255 gols
Bahia: Carlito, 253 gols
São Paulo: Serginho, 243 gols
Cruzeiro: Tostão, 242 gols

Muito mais do que ingleses e espanhois, brasileiros e italianos têm motivos para o saudosismo.

Ps: alguns números da lista brasileira divergem de informações em sites oficiais. Por ex. Heitor, que no site do Palmeiras tem pelo menos mais 30 gols. Mas as fontes do RSSSF são boas – no caso do Palmeiras, o livro de Orlando Duarte – e, além disso, o ponto do Blog é indiferente com 10, 20, 30 gols a mais ou a menos nesta lista de craques.

Autor: - Categoria(s): Futebol Brasileiro, Futebol Internacional Tags: , , , , , , ,
16/02/2011 - 11:08

Qualquer semelhança, (não) é mera coincidência

Compartilhe: Twitter

Do filme Fuga Para a Vitória…

Mas poderia ser do filme “Só existe um time de futebol em Manchester”

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
24/09/2010 - 11:25

Trailer/Clipe do Fifa Soccer 2011

Compartilhe: Twitter

Nice

Autor: - Categoria(s): Videos Futebol Tags: , , , ,
14/10/2009 - 22:21

Uma noite em Wembley

Compartilhe: Twitter

– Os portões do estádio de Wembley ainda estão fechados quando o locutor oficial fala: ‘Este é um jogo que corre de acordo com as regras da FIFA e, por isso, não haverá venda de bebidas alcoólicas dentro do estádio. Sentimos muito.’

– Mais ou menos assim, pedindo desculpas, os portões do novo estádio Wembley, casa da seleção inglesa de futebol, se abriram para a última partida válida pelas Eliminatórias, contra a Bielo-Rússia.

– Um estádio impecável. Coberto para todos os torcedores (descoberto apenas no gramado), com cadeiras numeradas e capacidade para 90 mil pagantes. Acesso fácil, metrô tanto da Jubilee como Metropolitan lines.

– Dentro, propaganda intensa da campanha da Inglaterra para sediar a Copa de 2018. No telão, o tempo de jogo, o replay das jogadas, e os melhores momentos no intervalo. O futebol como ele deveria ser no estádio (ninguém perde nada).

– Sem álcool, mas com apostas. Legais, diga-se. Ao lado dos belos sanduiches (comi um cheeseburguer, batatas e refri por 7 libras – calcula aí que tô com preguiça), vários quiosques da Betfred. Como eu vou a fundo na blogagem, resolvi colocar 5 libras que Rio Ferdinand (criticado a semana toda) marcaria o primeiro gol. Calma que eu posso explicar. Essa aposta pagava 25 libras pra 1 libra apostada. Mas tinham várias outras, como a trivial quem vence o jogo. Ou qual será o placar. E as filas para jogar são maiores do que as para comer sanduíche.

– Enquanto isso, no som ambiente, claro, rock e pop. Do Killers do Muricy ao Michael Jackson. No telão, Noel Gallagher fala que você deveria jogar futebol. Sim, a FA, Associação de Futebol da Inglaterra, faz propaganda do esporte. E todos eles divulgam o amistoso contra o Brasil em novembro, ‘number one team in the world’.

O jogo: Inglaterra classificada para a Copa de 2010. Bielo-Rússia. Bem, a Bielo-Rússia, nunca fez mal a ninguém… English Team sem Rooney e Gerrard, seus dois principais jogadores. Mas com os locais do Chelsea Lampard e Terry, com o ameaçado Rio Ferdinand e com vários outros precisando mostrar serviço para Capello, como Barry, Agbonlahor e Crouch. A escalação, com o áudio oficial do estádio, aqui. E o hino do Jenson Button e do Lewis Hamilton, cantado pelo estádio todo, em outro áudio, aqui.

– E foi exatamente o trio que fez o primeiro gol. Passe do primeiro para o segundo que cruzou para o terceiro dar um carrinho e marcar. Perdi 5 pounds, mas vi a jogada mais legal do jogo.

– No banco, a sombra de David Beckham. No banco, exatamente, não. Capello mandou Becks aquecer aos 15 do primeiro tempo. Ele passou o primeiro tempo e o intervalo inteiro aquecendo. E… os 13 minutos iniciais do segundo tempo até entrar no lugar de Lennon. Deve ser o novo recorde (inglês) de tempo de aquecimento.

– Entra Beckham, ovacionado, pega na bola pela primeira vez e dá o passe para o segundo gol de Wright-Phillips. E, depois, um show de toques de bola refinados dele. O torcedor folclórico ao meu lado diz, impressionado e desanimado ao mesmo tempo, bem do jeito inglês, pela classe do jogador: ‘É triste, mas ele é o que temos de melhor ainda. Precisamos dele. É difícil admitir. Beckham, mais tarde, seria escolhido o jogador da partida. Por 50 minutos de aquecimento e 30 minutos de jogo. Impecável em ambos.

– Ainda saiu um terceiro gol, de Crouch, que vai acabar levando uma vaguinha de Capello assim. Capello que, em Wembley, fiuca numa área técnica solitária, longe do banco e dos assistentes. O terceiro gol fez a alegria do não lotado Wembley que recebeu ‘apenas’ 76897 pagantes (setenta e seis mil, oitocentos e noventa e sete). Aliás, detalhe, talvez pela classificação antecipada, tinha ingresso na semana do jogo para vender no site oficial (thefa.com/tickets) e retirar nas bilheterias.

– Segundo o policial, dos 77 mil (só somar os jogadores e a comissão técnica), mais ou menos metade iria embora de metrô (tube). Todos na mesma estação (Wembley Park), inclusive este blogueiro. E tudo correu na maior calmaria, com policias gentis, montados, pendindo calma que logo todos embarcariam nos trens extras enviados ao estádio. Meia hora depois do apito final, cerca de 22h30, eu já estava em casa (Wembley não é exatamente perto). Que horas começam os jogos da Globo no Brasil mesmo?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , ,
Voltar ao topo