Publicidade

Publicidade

15/05/2012 - 12:11

City: a diferença é a torcida

Compartilhe: Twitter

O juiz apitou e o Manchester City foi de forma dramática campeão inglês de futebol depois de mais de 40 anos “na fila”.

Com um caminhão de dinheiro primeiro da Tailândia e depois das arábias, o City conseguiu, em pouco mais de 5 anos, o título, contratando grandes jogadores internacionais, sobretudo Yaya Touré, David Silva e Sergio Aguero para ficar nos de maior sucesso.

Quem olha desavisado pode achar que o Manchester City é uma espécie de Cosmos ou de São Caetano  turbinado.

Aí que está a diferença.

O City, com toda a humilhação que ser rival da mesma cidade do Manchester United pode representar, é um time grande. Grande mesmo, destes que divide a cidade em metade azul e metade vermelha.

Tailandeses e árabes não inventaram estes clubes. Eles são centenários e a invasão de campo ao fim do jogo, como disse Mauro Cézar Pereira na excelente transmissão comandanda por Paulo Andrade na ESPN, não era de um bando de figurantes. Era de torcedores de verdade, aqueles ingleses barrigudos e branquelos que lotam o estádio e os pubs há 44 anos, de chuva a chuva, de frio a frio, em busca da chegada deste momento.

O City é grande e tinha média, nos anos 90, de 30 mil pagantes por jogo no estádio mesmo na TERCEIRA divisão. Seu estádio anterior, o Maine Road, chegou a ter capacidade para 100 mil pessoas. O atual transforma o clube no de sexta maior torcida do país. Não é um clube de aluguel. Não é um Grêmio Barueri a espera de jogadores de empresários.

Investir no City é mais ou menos como se um caminhão de dinheiro chegasse ao Atlético-MG. Time de tradição, com mais de 40 anos sem Brasileirão, com quedas de divisão e com uma massa gigantesca de torcedores apaixonados e dispostos a tudo pelo clube.

Ou ao Santa Cruz e seu mundão do Arruda.

Se me perguntarem, não gosto do modelo do City e do Chelsea. Acho dinheiro demais, sem sentido (pra não dizer irregular, provavelmente). O que eu acho porém pouco vai importar. O modelo está provando que dá certo, ou pelo menos torna os times mais competitivos. Provavelmente vai virar definitivo.

Mas que ninguém diga que City e Chelsea, antes de tudo, não sejam verdadeiros clubes de futebol.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
17/11/2011 - 11:27

Charlie Jackson: não é um anão

Compartilhe: Twitter

Esse molequinho abaixo torce para o Manchester City, mas foi ‘convencido’ a ir treinar no rival Manchester United. Segundo o The Sun, o pai de Charlie disse o seguinte:

– Os ídolos dele são Joe Hart e Mario Balotelli e no começo ele ficou muito chateado ao saber que treinaria no United. Ele não queria ir. Eu tive que dizer a ele: ‘vamos deixar o United treinar você e quando você estiver muito bom, a gente vai jogar no City’.

Ele tem apenas 5 anos. E, comparado a seus coleguinhas de idade, parece um adulto entre crianças. Divertido.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
20/01/2010 - 11:27

Tevez: dois gols, um dedo do meio e campeão de audiência

Compartilhe: Twitter

A fase de Carlitos Tevez é mesmo incrível.

Fez os dois gols no clássico contra o Manchester United, dando a vitória, de vitória, ao ‘sofrido’ Manchester City.

O Man United é seu ex-clube, de onde ele saiu mesmo tendo feito ótimas apresentações.

Gary Neville apoiou a decisão de Alex Fergunson de não renovar com o argentino.

Na comemoração, Tevez provocou um pouco o adversário, como quem diz: ‘falaram demais.’

Eis que um cinegrafista flagra Neville, no banco, mostrando dedo do meio ao argentino. A Associação de Futebol Inglesa vai avaliar e não descarta punir o jogador, cheio de moral por lá, apesar de pouco jogar ultimamente (foto reprodução)

neville

Além disso, segundo o próprio Guardian, o jogo, sobretudo após a virada do City, tansmitido pela BBC1, foi o campeão de audiência no horário, com média de 7,3 milhões de espectadores, ou 29% de share. Nos 15 minutos finais, chegou a 32%. O número é maior do que a soma do segundo e terceiros colocados.

O Big Brother Celebrity, que começou após a partida, para se ter uma ideia, ficou apenas com 15%. Tevez é o grande hermano da vez na Inglaterra.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
19/01/2010 - 11:20

Robinho, antes, precisa fazer o seu trabalho direito

Compartilhe: Twitter

Robinho vai a Copa. É tão fato quanto Julio César vai a Copa.

Mas ao contrário do goleiro, que segue a mesma boa fase de sempre, Robinho não joga bem na seleção desde a Copa das Confederações.

Mais grave. Enquanto Julio César faz valer o salário na Inter e a cada partida mostra que merece aumento no clube, Robinho segue, aos 26 anos que completará semana que vem, sendo um jogador que ainda vale mais do que joga.

Na Seleção, pelas duas Copas das Confederações e sobretudo pela sua magistral Copa América em 2007, não se pode acusá-lo de nada. A atual má fase e a apagada Copa do Mundo não são motivos suficientes para tirá-lo da lista de 23 que vão a Copa. No máximo, ser reserva, mas isso é problema do Dunga.

Mas Seleção não paga seu salário. E como ele tem jogado nos clubes?

Robinho, todos os anos, renova a ladainha de que seu objetivo é ser o melhor jogador do mundo. Quando fala isso, já começa mal, dando a impressão (que nunca passou na Seleção, diga-se) de que quer ser mais importante que o clube.

Volte um pouco no tempo e veja como foi a longa passagem de Robinho no Real Madrid. Quando chegou, era apenas a surpresa, o xodó, o reserva querido de monstros como Zidane, Ronaldo e Figo. Mas mesmo após a saída dos 3, demorou para se firmar. Quando finalmente tinha tudo para ser o craque do time (e, aí sim, potencial para ser melhor do mundo, indiretamente), saiu. Não se achava valorizado em Madri, como se ele fosse o maior artilheiro da história da Champions League, como Raul, ou dono da melhor média de gols do clube, como Ronaldo.

Na saída, fez uma lambança com o Chelsea, outro time grande onde, naturalmente, é possível ser o melhor do mundo. Acabou no Manchester City, clube em que poderia jogar com o pé nas costas, desde que mostrasse metade da vontade de Carlos Tevez, Kaká ou Rooney em campo.

Robinho, agora, está irritando os ingleses como já irritou os espanhois. Os bastidores dizem que ele não gosta da cidade, do time, do estilo de jogo, do clima, de jogar fora de casa e de nada do que tem lá. Ainda que tenha certo exagero da ávida imprensa inglesa, fato é que chamaram um técnico mais latino para ver se o problema era o polêmico Mark Hughes. Mas até Mancini está cansando do jogador.

Pediu em público para ele melhorar e jogar, independente se o jogo é em casa ou fora, de quanto ele custou (jogador mais caro da história da Inglaterra) ou de qualquer outra coisa, para voltar a ser titular. “Gramado é tudo igual, onde quer que esteja”, diz com toda a propriedade o treinador.

Recentemente, li o blog de um fã do City no site do Mirror, da Inglaterra, e me chamou a atenção a forma como o torcedor, que no final ainda dá crédito a Robinho, começa o texto (tradução livre).

“Ele não pode jogar quando está frio, não consegue quando está molhado, e não joga bem fora de casa, ele não joga quando o jogo fica violento e ao que parece ele não se sente bem jogando no escuro.

Dêem a ele o impecável gramado do estádio City of Manchester numa tarde de sol em setembro e talvez ele jogue. Se a vibe estiver boa. Se a lua estiver em urano…”

Engraçado um técnico italiano e um torcedor inglês pensarem que Robinho virou ‘um jogador fresco’. Duro um brasileiro humilde de São Vicente ter que ouvir algo assim. Um cara que dá tudo quando está com Dunga na seleção. Um verdadeiro operário que, quem acompanha sabe, treina e corre tanto quanto volante quando está na Seleção.

Que Robinho vai a Copa, eu tenho certeza. Que ele já jogou em campos piores do que os gramados da Premier League, eu posso apostar.

Mas está na hora dele parar de querer ser o melhor jogador do mundo para querer, primeiro, apenas fazer seu trabalho direito.

Antes que seja tarde demais.

Leia mais

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
14/01/2009 - 17:16

A outra conta de Kaká

Compartilhe: Twitter

A conta que todos fazem. Kaká receberia 1,5 mi de reais por semana para ir ao Manchester City. Para qualquer mortal, é uma salário irrecusável mesmo.

Para Kaká, não. A conta que ninguém faz é que ele já ganha cerca de 750 mil reais por semana. Mesmo sendo a metade, é dinheiro demais. Fora os patrocínios e prêmios para quem joga na elite da elite, na nata da nata do futebol mundial.

Uma coisa é ir ganhar 900 mil por semana (parece inacreditável que estamos aqui falando em semana, não mês) no Real Madrid ou no Chelsea. Outra é ajudar o Manchester City a sair da zona do rebaixamento na Premier League.

E ficar, por conta disso, dois anos no mínino longe da Champions League. E, consequentemente, longe de qualquer chance de levar o prêmio de Melhor do Mundo.

Quer sair do Milan, sai… Quer jogar na Premier League? Também acho que é o campeonato mais legal de todos.

Mas Manchester City com Kia de intermediário… sei lá. Acho que tem oferta melhor por aí.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
05/01/2009 - 18:20

As propostas de Ronaldo

Compartilhe: Twitter


O livro Anjos Blancos (que já citei aqui alguma vez) narra muito bem como se faz e se negocia uma transferência envolvendo grandes estrelas do futebol.

Os sinais de fumaça, as entrevistas dos jogadores, agentes, familiares, os boatos, as notícias plantadas na imprensa.

Este jogo de empurra, admira, flerta, namora e casa é normal. Esquisito é quando, ainda que verdade, quem noticie estes encontros e desencontros seja o próprio jogador interessado. Não acho que combine com um craque do porte de Ronaldo, do Corinthians, por exemplo, ficar noticiando estas conversas em sua própria página oficial. Parece coisa de jogador desesperado.

Veja uma cronologia retirada de notícias do próprio site oficial do jogador. Eu não sei vocês, mas para mim site oficial é a voz do jogador na web. Está escrito lá, foi ele que disse. Então leia abaixo o que saiu da boca de Ronaldo desde outubro (copiado e colado):

20/10 – Ronaldo revelou ter recebido uma oferta de emprego de um clube italiano. Ele não entrou em detalhes, mas afirmou não se tratar do Milan, o último clube que defendeu.

20/10 – Manchester City e Paris Saint Germain vêm acompanhando de perto o progresso de Ronaldo, que deverá ter uma série de opções para escolher ao fazer o tão esperado retorno aos gramados.

29/10 – Apesar do interesse de diversos clubes das principais ligas da Europa, Ronaldo revelou que a sua preferência após recuperar a forma física é jogar pelo Flamengo, o seu clube de infância.

06/11 – Um certo número de clubes tem mostrado interesse em Ronaldo, que está se recuperando de uma lesão no joelho. O último clube a mostrar interesse foi o Italiano Série A Siena.

24/11 – É possivel que Ronaldo continue a sua carreira na Premier League Inglesa. “Além do Manchester City, que já demostrou o seu interesse publicamente, também existem três outros clubes ingleses interessados em Ronaldo,” disse o agente de Ronaldo, Fabiano Farah.

10/12 – Ronaldo está negociando a possibilidade de um contrato com o Corinthians.

11/12 – O atacante Ronaldo será apresentado oficialmente como o novo reforço do Corinthians para a temporada de 2009 na próxima sexta-feira.

Autor: - Categoria(s): Futebol Brasileiro, Futebol Internacional Tags: , , ,
24/11/2008 - 14:50

Gol anulado do Van Persie (versão remix)

Compartilhe: Twitter

 

Para quem não viu o gol anulado do Van Persie na ‘goleada’ sofrida pelo Arsenal frente ao Manchester City (3 x 0) no último final de semana, o lance é ainda mais legal que o golaço do Robinho.

Neste vídeo abaixo você a jogada e ainda ganha de bonus diálogos, música e piadinhas.

 

 

Autor: - Categoria(s): Videos Futebol Tags: , , ,
Voltar ao topo