Publicidade

Publicidade

12/02/2010 - 11:53

Gerrard e a carinha de sofredor

Compartilhe: Twitter

gerrard1

Steven Gerrard tem cara de sofredor. Não é só quando perde, não, como nos inúmeros fracassos do English Team e na eterna fila do Liverpool na Premier League ou mesmo quando Mineiro deu o título mundial ao São Paulo.

O excelente meia inglês faz cara de dor até quando vence. Quem olha e não conhece acha que ele anda com o intestino preso ou algo do gênero. Não chega a ser uma cara brava, mas um jeito de sofrimento mesmo.

Talvez por isso, por ele estar sempre com a mesma cara, e ter aquela testa franzida tão característica na testa, não me lembro de ver estátua do museu de cera Madame Tussauds mais perfeita que a dele. Saca só:

gerrard2

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: ,
22/04/2009 - 16:41

Profissionais do Brasil, assistam Liverpool 4 x 4 Arshavin

Compartilhe: Twitter

Liverpool 4 x 4 Arshavin, pela Premier League, foi destes jogos de futebol para gravar, guardar, ver de novo (na foto abaixo da AFP, Benayon enfia a cara na chuteira para marcar para o Liverpool).

Digo mais, fosse um técnico por aqui, cancelava o treino da tarde e mostrava a reprise da partida aos jogadores. Nossos atletas precisam saber e ter consciência que os caras que ganham 10 vezes mais do que eles no futebol inglês dão o sangue, entram em todas as divididas como se fosse a última, não são titulares absolutos e não são mimados. Não ganham nada de mão beijada ou só com o nome. E, mais, não se jogam no chão, não fazem cera, não fazem teatro.

Enfim, são verdadeiros cavalheiros da bola. Merecem estar onde estão. Aqui, parece que a gente está andando para trás. Simular falta e pênalti, tão ‘demodê’ na Inglaterra (a própria torcida vaia), ainda faz parte da nossa cultura. Tentar expulsar o companheiro do outro time, carregar no cartão amarelo, tudo isso ainda é ‘tática de jogo’ dos nossos treinadores.

Tenho pena de nossos juízes. Os de lá não são melhores tecnicamente do que os daqui, mas pelo menos os de lá podem, na maioria dos casos, contar com o caráter dos jogadores. Na dúvida, eles acreditam nos jogadores e até no tamanho da vaia da torcida. Dificilmente erram ao confiar nos jogadores. Se o Rooney cai no chão com dores, tá doendo mesmo. Quando erram na avaliação, será certamente a última vez. Porque pega mal, por lá. Não é valorizado como aqui. Que o diga Cristiano Ronaldo, que de tanto ‘se jogar’, os juízes pensam 30 vezes antes de dar falta nele, além da vaia que costuma tomar pode onde quer que passe. Pode reparar, inclusive, que Cristiano Ronaldo não tem se jogado mais tanto na atual temporada.

Já nossos craques, fica dificil acreditar cegamente neles, afinal, a cultura da vantagem, de enganar, de ser malandro, de ganhar no grito é a predominante por aqui. E, incentivada. Ninguém acha esquisito colocar um ponta habilidoso para cima de um lateral pendurado no segundo tempo. Ferir o adversário com um cartão vermelho faz parte da tática para se ganhar a partida. A gente ainda está na fase em que o técnico pede para o gandula sumir com a bola e não ter pressa.

Para todos estes, recomendo assistir Liverpool 4 x 4 Arshavin. Para todos os outros, os amantes do bom futebol, recomendo assistir duas vezes.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: ,
11/03/2009 - 11:28

Três da Espanha, duas de Portugal e uma da Argentina

Compartilhe: Twitter

Legal hoje são as capas de jornal graças a três eventos: a sapecada que o Real Madrid tomou em Anfield Road, a maior humilhação da história do futebol português em Champios League do Sporting e o abondono do ‘bebê-chorão’ Riquelme da seleção de Maradona.

– Aqui vão três da Espanha, dois de jornais madridistas/madrilenhos (Marca e As) e um do jornal culé/catalão Mundo Deportivo. Em todos, eu aprendi uma nova expressão, Chorreo, que pelo que apurei com alguns amigos de lá tem relação com água, sair pingando da água, mas também humilhação, deboche, covardia (outras interpretações bem-vindas nos comentários). Enfim, em bom português, o BANHO DE BOLA que o Real levou em Liverpool, apesar da excepcional atuação de Casillas.

– Duas de Portugal, que não precisam de tradução (5 vira, 12 ganha para quem quiser abrasileirar a genial chamada do Record).

– E o nosso bom e velho Olé, da Argentina, repercutindo, de novo, o fato de Riquelme abdicar da seleção, mas que desta vez não sabe direito se fica do lado de Maradona ou do lado de Roman.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , , ,
10/03/2009 - 18:47

As goleadas e os amarelos na terça da Champions League

Compartilhe: Twitter

– Quando faltavam 30 minutos para acabar o jogo e o Sporting precisava de oito gols para se classificar para as quartas da Champions. Animador…

– Aí o Bayern ainda fez mais três. 0 x 5 em Lisboa. 7 x 1 em Munique. 12 x 1 no agregado. Maior diferença da história da Champions League.

– “Somos a vergonha da Europa”, diz no MSN meu caro amigo sportinguista. “Polga conseguiu fazer um contra e falhar em todos os golos. Nunca vi isso”, completou.

– O Liverpool cresceu para cima do Real Madrid (com uma mãozinha da arbitragem no começo… mas nada que mudasse a apatia blanca). 4 x 0. Adiós Real, que praticamente dá adeus também a uma das mais infelizes temporadas de sua história. Fora da Copa do Rey, com chances remotas na Liga Espanhola seis pontos atrás do Barcelona e humilhado com 5 x 0 no placar agregado contra o Liverpool.

– O Villarreal, que havia apenas empatado em casa com o Panathinaikos, ganhou na Grécia por 1 x 2. A Espanha terminou a terça com uma cor apenas na cabeça: amarelo. A amarelada do time de Madri em Liverpool e o amarelo valente do Villarreal na Grécia.

– Mas de tirar o fôlego mesmo foi Chelsea x Juventus. O jogo tinha sido um a zero para os ingleses na Inglaterra. A Juve logo abriu o placar numa belíssima tabela entre Trezeguet e Iaquinta, que marcou.

– Aí o Chelsea teve que ‘marcar’ três gols para valer um. É brincadeira, mas foram dois lances de bola que deu para ficar na dúvida se passou da linha ou não (a falta do Drogba eu achei que entrou e o chute do Lampard nitidamente não) até que no rebote Essien empatasse (foto Reuters).

– A Juventus, nesta altura, precisava de mais dois gols. Então entra ele em campo… Belletti. O homem, o mito da Champions.

– Mal entra e… Belletti mete as duas mãos na bola dentro da área. Pênalti para uma Juventus com um homem a menos. Del Piero marca e enche de esperança o estádio. Um golzinho apenas para a classificação.

– Mas nove minutos depois, ele, o homem, o mito da Champions, entra pela direita e cruza na medida para Drogba empatar o jogo e acabar com a festa italiana. Belletti, o predestinado da Champions, quase fez o terceiro, mas perdeu sozinho com o goleiro.

– O Chelsea do Guus Hiddink está classificado. Guus Hiddink, eu disse.

– Quarta-feira tem mais. Dois ingleses já passaram. Manchester United e Arsenal podem se classificar amanhã e tudo volta a ser uma grande British League novamente. Será?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , , ,
19/02/2009 - 12:49

Sobrou a Alemanha…

Compartilhe: Twitter

Vamos convencionar aqui que as Ligas top europeias são inglesa, italiana, espanhola e alemã.

Na espanhola, o Barcelona simpelsmente tem 10 pontos de vantagem para o vice-líder Real Madrid. Não tem clássico ou fratura exposta de Messi (toc toc toc) que faça ter uma virada. Barcelona, campeão.

Na Itália, o tetra já tem dono. A Inter tem 9 de frente para a Juve e 11 para o Milan. Nem uma eliminação para o Manchester United na Champions é capaz de abater os comandados de Mourinho de forma a ameaçãr uma diferença dessa.

Na Inglaterra, teoricamente, a diferença é pequena. Cinco pontos separam o líder Manchester United do vice Liverpool. Mas a pergunta é: fosse um ponto a diferença, como fazer o Manchester United perder? O time vem num crescente incrível desde o Mundial de Clubes e se dá ao luxo de arrasar adversário por adversário mesmo com Cristiano Ronaldo em fase, digamos, discreta. Muito difícil virar, ainda mais com o clássico do segundo turno sendo em Old Trafford.

Então sobrou a Alemanha. Lá, o bicho está pegando. A diferença do primeiro (Hertha) ao quinto (Bayer Leverkusen) é de apenas 4 pontos. No meio deles, o surpreendente Hoffenheim, o ótimo Hamburgo e o tradicional Bayern de Munique.

Lembra bem um outro campeonato que começa logo mais, que este ano terá, entre outras atrações, Ronaldo e Fred. Um tal Brasileirão…

Ps.: fique ligado na Bundesliga no Blog do Alemão do iG.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , ,
05/02/2009 - 11:58

O gol mais importante que você já (não) viu

Compartilhe: Twitter

Dan Gosling, do Everton, aos 19 anos, ontem, no clássico da cidade de Liverpool (clássico da paz é um dos apelidos de Everton x Liverpool), marcou um golaço aos 13 minutos do segundo tempo da prorrogação que classificou o primo pobre para a próxima rodada da Copa da Inglaterra enquanto o primo rico fica pelo caminho.

Mas o mais incrível desta história que já é incrível é que milhões de boleiros que assistiam à partida gerada pela ITV ficaram perplexos quando a transmissão foi cortada exatamente no momento do gol para a entrada de um comercial.

Descoberto o erro, volta às pressas a transmissão sem o gol ao vivo, só no replay. Um jogo que vai até o minuto 118 no 0 x 0 e quando sai o histórico gol, a TV perde. Veja no vídeo a seguir (que começa com o comercial, não se assuste, e volta correndo para o gol).

No último domingo, no espetacular Super Bowl, alguns desavisados no Arizona foram surpreendidos por cenas de um filme pornô em pleno segundo tempo. Engraçado que quando o jogo tá chato, nada disso acontece, lógico.

Lucas x Gosling

Claro que não quer dizer que um seja demais e outro seja ruim. Mas não tem como deixar de comparar a atuação de dois jovens na partida da Copa da Inglaterra.

Lucas é tem 22 anos e um currículo encorpado de divisões de base da Seleção Brasileira. Gosling é um jovem com, talvez, menos talento mas também com currículo (não tão encorpado) nas divisões de base da Seleção Inglesa.

Gosling custou 500 mil libras enquanto Lucas custou 10 milhoes de libras.

Gosling foi herói no jogo, como já se sabe. Lucas foi o vilão, sendo expulso pelo segundo cartão amarelo aos 30 do segundo tempo num jogo que se encaminhava para a prorrogação.

O futebol sempre tem dessas…

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
04/02/2009 - 18:39

Colinho da mamãe 1, 2 e 3

Compartilhe: Twitter

Eles foram, mas estão voltando. Três historietas de volta para casa em 2009.

Colo da mãe 1 – Thiago Neves

Thiago Neves foi para o Hamburgo e agora vai ser apresentado ao Fluminense para disputar o Estadual do Rio e a Copa do Brasil. Foram seis meses de sonho europeu e nenhum partida inteira pela Bundesliga. Nenhum gol pelo torneio também. Então resolveu voltar para casa. Ainda que seja só por 5 meses, já que ele vai ter que jogar no Al Hilal da Arábia Saudita no segundo semestre. Uma espécie de empréstimo ‘Beckham-like’, daqueles que vai ser duro sair depois.

Colo da mãe 2 – Podolski

Lukas Podolski é um astro. Nasceu na Polônia mas aos 2 anos já morava na Alemanha e aos 10 chegou ao Colônia (FC Koln). Lá, marcou época. Estreou no time principal aos 18 anos e enquanto esteve na modesta equipe marcou mais de um gol a cada dois jogos, conquistando a mídia, a cidade e os alemães. O caminho era natural e, depois de dar a honra ao seu pequeno time de por lá ser convocado para a Copa de 2006, ele fez a mais óbvias das transferências: foi para o poderoso Bayern de Munique, o lugar ideal para estrelas de seu quilate.

O tempo passou e Podolski nunca se encontrou. Dedicado e trabalhador, passou longe do talentoso atacante que sempre foi. Não aguentou a concorrência de estrelas do time e, jogando quase o mesmo número de jogos que fez no Colônia, não fez sequer metade dos gols pelo Bayern.

Resolveu: vai voltar para casa. Apesar de seu peso, da possibilidade de ir para grandes da Inglaterra, Podolski já avisou que em julho, quando será ainda um jovem de 24 anos, vai voltar para o Colônia e ser feliz.

Colo da mãe 3 – Robbie Keane

Robbie Keane é um daqueles jogadores que só existem no mundo do apaixonante futebol britânico. Irlandês, todas as suas transações até hoje já somam 75 milhões de libras mas só boleiros um pouco mais do que iniciados sabem exatamente quem é ele. Até chegar no Liverpool, nenhum moleque resolveu escalar o atacante no seu time de videgame no Brasil.

Pois Keane é um excelente marcador de gols e uma lenda para o Tottenham. Lá, marcou mais de 100 gols. No meio do ano, foi contratado pelo Liverpool numa dessas transações que mexe com o brio das torcidas inglesas (como um Gerrard deixar o Liverpool). Torcida e diretores revoltados. Seis meses depois, o capitão volta triunfante para o norte de Londres ainda no meio da temporada. Keane saiu do Liverpool depois de marcar sete gols em 25 jogos e deixa para trás a Champions League, a chance de fazer o Liverpool ser campeão da Premier League pela primeira vez em 19 anos e, principalmente, achance dele ganhar o seu primeiro título de futebol (não vale segunda divisão) na carreira. Tudo para brigar pra não cair pelo seu antigo time. É o amor…

Autor: - Categoria(s): Futebol Brasileiro, Futebol Internacional Tags: , , , , , ,
19/12/2008 - 17:04

Sorteio da Champions

Compartilhe: Twitter

(nada como um sorteio de Champions para tirar a poeira do blog)

Ano passado, nas oitavas, dois italianos pegaram dois ingleses. O Arsenal atropelou o Milan e o Liverpool praticamente humilhou a INter vencendo na ida e na volta. Nem Milan ou Inter sequer marcaram gols.

“Sorte” deu a Roma, que pegou o Real Madrid, venceu e depois foi apanhar do (futuro campeão) Manchester United.

Este ano, tudo de novo. Com a diferença que são três italianos contra três ingleses. Teoricamente, com o estágio técnico em que se encontram seus times (e um pouco de ‘modinha’ também que virou o futebol inglês) os ingleses sempre entram como favoritos.

Mas eu não duvidaria se tudo desse ao contrário.

Arsenal x Roma
Chelsea x Juventus

e o melhor confronto de todos (como as bolinhas são cruéis):

Manchester United x Inter de Milão.

Este jogo último poderia ser muito bem a final do campeonato.

Eu, com vontade de ser do contra na última sexta útil do ano, vou apostar nos três italianos. Uma apostinha de leve que o Manchester vai decair depois da super temporada passada, que o Felipão está perdendo o controle no Chelsea e que o Arsenal é verde demais e pode cair de maduro.

E aí o Liverpool vai ficar de único representante inglês… será?

Só para constar, os confrontos todos:

Chelsea x Juventus
Villarreal x Panathinaikos
Sporting x Bayern de Munique
Atlético de Madrid x Porto
Lyon x Barcelona
Real Madrid x Liverpool
Arsenal x Roma
Internazionale x Manchester United

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , , , , , , ,
01/12/2008 - 11:05

Gerrard: G-Force completa 10 anos

Compartilhe: Twitter

Esta foto (e texto) está no Guardian.

Um magrela chamado Steven Gerrard entrava no Liverpool pela primeira vez há 10 anos (e dois dias). Esta década depois, Steve G ganhou peso mas não perdeu este olhar de sofredor que o acompanha sempre. Ganhou títulos e honras também. Champions League, Copa da UEFA, Copa da Inglaterra e Copa da Liba Inglesa estão no currículo. Falta uma Premier League, que o Liverpool não ganha desde 1990.

Duas coisas são curiosas sobre Gerrard. Primeiro que ele só tem 28 anos, apesar de parecer uma espécie de veterano dos veteranos do futebol mundial. A outra é que ele jamais vestiu outra camisa. Desde os nove anos de idade, depois de ser descoberto no time da escola, ele está no Liverpool.

Não à toa, Steve-G é o ídolo maior da torcida. Rei das musiquinhas da torcida. Inclusive algumas de gosto, assim, mais duvidoso.

 

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional Tags: , ,
29/11/2008 - 14:28

Duas posições, quatro jogadores, duas realidades

Compartilhe: Twitter

 

Diego Cavalieri, Renan, Henrique e Breno.

Quatro jogadores dos mais badalados jovens dos últimos tempos no futebol brasilis. Todos de seleção. Nenhum vendido para a Arábia ou Ucrânia. Muito menos Japão. Pelo contrário.

Pensando do ponto vista Champions League, Diego e Breno foram para os melhores times (Liverpool, com 5 títulos, e Bayern de Munique, com 4) e Henrique e Renan para os menos melhores (Barcelona, com 2, e Valencia, com 0).

Vamos dar um recorte rápido das atuais situações:

1) Diego Cavalieri (goleiro reserva do Liverpool) – Fez dois jogos apenas, pela Carling Cup. Para goleiro, é uma fogueira entrar sem ritmo, todos sabem. E, juntando um pouco de azar, foi (muito) mal no jogo entre Tottenham e Liverpool. Reina reina no gol dos Reds (com perdão do trocadilho) e jogou todos os jodos da Premier League e os 5 da Campions. Seleção para Diego? Beeeem difícil.

2) Breno (zagueiro reserva do Bayern Munique) – Existem três coisas que orgulham Munique: a oktober fest, a cerveja e a zaga do Bayern de Munique. Lúcio domina. Van Buyten agrada. Tem Demichelis, tem Sagnol, tem Oddo, tem Lahm na esquerda, tem Lell e tem Breno. Breno, aos poucos, está sempre no banco, o que é bom. Mas jogar mesmo é raro. Quase entrou nesta rodada quando o capitão Lucio se machucou, mas o guerreiro brasileiro desisitiu de sair e Breno segue com apenas duas partidas.

3) Renan (goleiro titular absoluto do Valencia) – Voltou da Olimpíada três dias antes de começar a Liga. Para surpresa geral, foi escalado. Não largou mais o osso. Renan já é um ídolo e grande candidato a fazer a torcida do Mestalla esquecer Canizares de uma vez por todas. Na atual liga espanhola é o terceiro menos vazado e um dos responsáveis pelo Valencia seguir na zona de classificação da Champions, perseguindo os líderes Barcelona, Real e Villarreal.

4) Henrique (zagueiro titular absoluto do Bayer Leverkusen) – O Barcelona emprestou Henrique ao Bayer. Time infinitamente menor e que não é sombra mais daquele time que deu pro gasto há alguns anos. O time, alías, perdeu em casa neste final de semana para o Bayern de Munique. Mas Henrique não está nem aí. É titular absoluto, joga todos os jogos, super elogiado e acumulando milhas no futebol europeu. Grandes chances de voltar ao Barça como protagonista no próximo ano e, claro, fazer história.

Os quatro são excelentes jogadores e têm um futuro certo encaminhado. Que fique bem claro que ninguém erra ao assinar com Bayern de Munique e Liverpool, é lógico. Mas não há como negar que, às vezes, um passinho mais atrás (e não 12 passos atrás) vale mais do que dois passos à frente.

Ronaldo, Ronaldinho, Romário, Rivaldo são quatro dos brasileiros melhores do mundo que entraram na Europa assim, em times que passam longe de ser pequenos, mas não são gigantes. Claro que sempre tem as exceções, né Kaká?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Seleção Brasileira Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo