Publicidade

Publicidade

18/05/2012 - 12:44

Neymar, global

Compartilhe: Twitter

Se me perguntarem, eu sou partidário do “Vai embora, Neymar”, que o colunista da Folha de SP Lúcio Ribeiro levantou como bandeira ainda em 2011. É só procurar aqui nos arquivos deste blog que compartilho de opiniões parecidas. Mas para resumir, eu acho que o Brasil precisa segurar jogadores, sim, nos seus campeonatos, para elevar o nível do futebol por aqui.

Mas eu acho que antes de segurar um craque do tamanho do Neymar, a gente tem que segurar nossos médios. Repatriar todo o pessoal que está na Ucrânia, na Rússia, em Portugal, na Turquia. Jogadores que não estão nos clubes top das grandes Ligas idem.

Volta Nilmar, Alex, Fernandinho, William. Volta Denílson e Jadson (como voltaram), volta Lucas, volta Anderson. São jogadores bons, mas que poderiam estar por aqui, tornando o campeonato Brasileiro mais forte e os times voltarem a ser as grandes fontes e base da Seleção Brasileira.

Mas Neymar? Não, discordo. Neymar pode ser um Ronaldinho Gaúcho, um Ronaldo, um Romário, um Rivaldo, um Kaká, todos eles eleitos melhores jogadores do mundo. E estes foram grandes porque conquistaram a Europa, sendo a estrela de grandes clubes e vencendo nas Ligas mais difíceis do planeta.

Aqui, Neymar destoa. Em vez de nivelar, desequilibra. Em vez de aprender a encarar bons zagueiros, nada de braçada nas frágeis zagas brasileiras. Em vez de aprender a jogar em pé, é totalmente protegido pelas péssimas arbitragens brasileiras. Em vez de aprender a tocar a bola, pega ela e vai para cima em TODAS as jogadas, o que é bom para ele, mas não necessariamente para um futebol coletivo.

Neymar é um craque  global. Internacional. E precisa provar lá isso, ao lado ou contra Iniesta, Thiago Silva, Cristiano Ronaldo, Sneijder, Messi entre outros. Tão global que é a estrela do comercial “longa metragem” da Nike para a Eurocopa (veja bem, torneio em que só jogam europeus), neste ótimo filme feito pela agência Wieden+Kennedy.

A trilha sonora, para quem curtiu,  é da banda “The Eighties Matchbox B-Line Disaster” e chama Chicken.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
02/02/2010 - 15:02

Sexy é o Guardiola, diz o ‘Gandula’

Compartilhe: Twitter

O post abaixo, do gol do Iniesta, ganhou uma versão sob o atento olhar feminino de Carla Faria no blog Gandula. Sexy, para ela, não é o gol, mas sim o técnico. Leia aqui

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
01/02/2010 - 10:09

Iniesta e o gol mais sexy de 2009

Compartilhe: Twitter

*Este post quase teve o título de ‘com bola e tudo’, mas este blogueiro ainda tem um pouco de classe.

Estou colocando o google reader em dia e achei uma pérola. O diário Marca comenta um certo ‘baby boom’ que está se passando em Barcelona nestas últimas semanas. Um hospital viu o número de nascidos subir de 9 a 10 para 15 novos bebês por dia. Um aumento de 50%.

As enfermeiras, sempre atentas, foram procurar o que havia acontecido 9 meses antes. A lua, melhor explicação de sempre, não era o motivo para espanto geral. O que havia acontecido 39 semanas antes foi isso…

O gol mais incrível de Iniesta, que classificou o Barcelona para a final da Champions League que venceria mais tarde. Perto desta semi, o Barcelona ainda ganhou por 6 x 2 do Real Madrid, o que poderia ser outra causa da animação geral na cidade.

Vai dizer que o futebol não explica tudo…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
08/05/2009 - 12:05

5,4,3,2,1… GOOOOOOOOL

Compartilhe: Twitter

O futebol em 2009 virou está virando uma espécie de NBA do Fabio Sormani. Não tem jogo ganho até que a sirene toque, o juiz apite, o ‘cronômetro zere’, ‘at the buzzer’. E não são gols quaisquer. São gols de classificação, cesta que vale passar pelo playoff.

A revista Maxim do mês passado reuniu gols no finalzinho famosos, como o de Ricardinho contra o Santos ou o de Adriano contra a Argentina. Mas são anos de futebol à disposição de quem fez a seleção. Incrível é que em 2009, mais propriamente nos últimos 10 dias, já tenha pelo menos três gols dignos de entrar para a história envolvendo as três competições interclubes mais importantes do mundo. Dois deles classificaram, inclusive, para a final. Veja o top 3:

Primeiro foi o Claiton Xavier, aos quase 42 minutos do segundo tempo com um jogador a menos, tirando o Colo Colo e classificando o Palmeiras para as oitavas da Libertadores.

Depois veio o Iniesta, aos 48 do segundo tempo, com o gol que colocou o Barcelona na final da Champions League (só isso). Também com um a menos

Na quinta-feira foi a vez de Ilsinho, do Shakthar, fazer aos 44 do segundo tempo o gol da classificação de seu time para a final da Copa da Uefa contra o Werder Bremen. O time empatava de 1 x 1 e o resultado classificava o Dínamo Kiev.

Este ano, por via das dúvidas, melhor não sair mais cedo do estádio. Espera até o fim.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Videos Futebol Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo