Publicidade

Publicidade

11/01/2010 - 13:11

Quem sabe, sabe…

Compartilhe: Twitter

Messi fez um golaço no final de semana. Por cima do goleiro. Se não viu, procure. Gol de craque consagrado (com Champions e Mundial de Clubes e o título de melhor do mundo, já dá pra consagrar, vai?).

Mas eu queria destacar duas matadas de bola aqui. Uma resultou em gol e a outra, não.

Cristiano Ronaldo, por pouco, não marcou contra o Mallorca. A matada de perna esquerda é de craque e o chute de direita passou raspando. Veja no segundo 45 deste vídeo abaixo.

E Ronaldinho, no clássico contra a Juve, mostrou que a classe ainda existe. Faltava estar em forma, coisa que parece acontecer pela primeira vez desde 2006 (pelo menos neste começo de temporada). Matou a bola no peito já deixando ela cair para a perna direita e procurando o canto. Por conta da bagunça feita pela torcida da Juve, só dá para ver o gol no replay.

Por fim, por falar em gols, o do sul-africano Pienaar pelo Everton contra o Arsenal por cobertura foi lindo. Mas foi no dia seguinte que um gol parecido fez o queixo do mundo da bola cair um pouco. É sempre bom ver um jovem nascer para o futebol, independente se ele vingará como Messi ou se naufragará como Freddy Adu.

O espanhol Sergio Canales, do Racing Santander, foi o jogador da rodada. Fez os dois gols na vitória de seu time fora de casa contra o Sevilla. Canales nasceu nos anos 90, mais precisamente em 16 de fevereiro de 1991, ou seja, ainda tem 18 anos.

Canhoto, ele não é atacante, mas sim um meia ofensivo, posição das mais carentes em todo o futebol mundial. Foi titular em apenas 3 partidas no campeonato e já marcou 4 gols. Joga no time do brasileiro Henrique, zagueiro do Barça que está emprestado. Veja os dois golaços do garoto, que na Inglaterra já é chamado de ‘bonitão e bom de bola’.

Mais
Site Oficial do Canales
Meu Twitter

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , ,
29/11/2008 - 14:28

Duas posições, quatro jogadores, duas realidades

Compartilhe: Twitter

 

Diego Cavalieri, Renan, Henrique e Breno.

Quatro jogadores dos mais badalados jovens dos últimos tempos no futebol brasilis. Todos de seleção. Nenhum vendido para a Arábia ou Ucrânia. Muito menos Japão. Pelo contrário.

Pensando do ponto vista Champions League, Diego e Breno foram para os melhores times (Liverpool, com 5 títulos, e Bayern de Munique, com 4) e Henrique e Renan para os menos melhores (Barcelona, com 2, e Valencia, com 0).

Vamos dar um recorte rápido das atuais situações:

1) Diego Cavalieri (goleiro reserva do Liverpool) – Fez dois jogos apenas, pela Carling Cup. Para goleiro, é uma fogueira entrar sem ritmo, todos sabem. E, juntando um pouco de azar, foi (muito) mal no jogo entre Tottenham e Liverpool. Reina reina no gol dos Reds (com perdão do trocadilho) e jogou todos os jodos da Premier League e os 5 da Campions. Seleção para Diego? Beeeem difícil.

2) Breno (zagueiro reserva do Bayern Munique) – Existem três coisas que orgulham Munique: a oktober fest, a cerveja e a zaga do Bayern de Munique. Lúcio domina. Van Buyten agrada. Tem Demichelis, tem Sagnol, tem Oddo, tem Lahm na esquerda, tem Lell e tem Breno. Breno, aos poucos, está sempre no banco, o que é bom. Mas jogar mesmo é raro. Quase entrou nesta rodada quando o capitão Lucio se machucou, mas o guerreiro brasileiro desisitiu de sair e Breno segue com apenas duas partidas.

3) Renan (goleiro titular absoluto do Valencia) – Voltou da Olimpíada três dias antes de começar a Liga. Para surpresa geral, foi escalado. Não largou mais o osso. Renan já é um ídolo e grande candidato a fazer a torcida do Mestalla esquecer Canizares de uma vez por todas. Na atual liga espanhola é o terceiro menos vazado e um dos responsáveis pelo Valencia seguir na zona de classificação da Champions, perseguindo os líderes Barcelona, Real e Villarreal.

4) Henrique (zagueiro titular absoluto do Bayer Leverkusen) – O Barcelona emprestou Henrique ao Bayer. Time infinitamente menor e que não é sombra mais daquele time que deu pro gasto há alguns anos. O time, alías, perdeu em casa neste final de semana para o Bayern de Munique. Mas Henrique não está nem aí. É titular absoluto, joga todos os jogos, super elogiado e acumulando milhas no futebol europeu. Grandes chances de voltar ao Barça como protagonista no próximo ano e, claro, fazer história.

Os quatro são excelentes jogadores e têm um futuro certo encaminhado. Que fique bem claro que ninguém erra ao assinar com Bayern de Munique e Liverpool, é lógico. Mas não há como negar que, às vezes, um passinho mais atrás (e não 12 passos atrás) vale mais do que dois passos à frente.

Ronaldo, Ronaldinho, Romário, Rivaldo são quatro dos brasileiros melhores do mundo que entraram na Europa assim, em times que passam longe de ser pequenos, mas não são gigantes. Claro que sempre tem as exceções, né Kaká?

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Seleção Brasileira Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo