Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Sem categoria

15/02/2013 - 11:09

Novo BlogdeBola

Compartilhe: Twitter

O primeiro post deste blog é de mais ou menos setembro de 2002. Não lembro o tema, mas desconfio que era falando mal de Rogério Ceni (hahaha, isso faz mais de 10 anos, já passou, pessoal. Quer dizer…).

Não existia Orkut, quanto menos Youtube, RSS, Google Reader, Facebook ou Twitter. Era na raça. Lembro que o Blig tinha uma ferramenta que você colocava o seu email e recebia um aviso toda vez que existia um novo post. No final de alguns textos eu colocava a mensagem: “não esqueça de colocar este site no favoritos”.

Dois meses antes, precisamente no dia seguinte ao pentacampeonato do Brasil, eu entrava na redação do iG para o meu primeiro dia de trabalho. A função era ser editor da homepage.

No iG, batendo ponto, eu fui editor da home, coordenador de conteúdo e editor de esportes. “Fora dele”, desde 2007, continuei como correspondente, colunista, blogueiro e, como última função, fornecedor de conteúdo de automobilismo, já com a minha nova empresa mob36.

Entre outras coisas, tive a oportunidade de cobrir a Copa do Mundo de 2006 e a Olimpíada de 2008 “in loco”. Varei algumas madrugadas estreando homepages novas ou fazendo uma cobertura especial como a eleição de Obama ou a queda do avião da Tam. Viajei para treinamentos, congressos, etc. Passei incontáveis plantões de carnaval, ano novo, e finais de semana, verificando desde o trânsito nas estradas até a morte do papa.

Fora da redação, fui número 10, 3, 6, 11 e mais algumas nos 10 anos que vesti a camisa do Portal nos torneios de futebol de imprensa por aí afora. Foram quatro semifinais e dois títulos, por acaso os dois últimos da Copa Nike Aceesp. Fora das quatro linhas, deixei boa parte dos meus salários tomando cerveja no boteco Arpege com tantos e tantos talentosos jornalistas, designers, fotógrafos, técnicos, marqueteiros, publicitários, programadores, executivos, vendedores que por lá passaram. Fiz muitos amigos, se me perdoam o clichê.

Chegou a hora de dizer tchau.

Minha vida profissional já não era 100% iG faz tempo. Agora meu blog também vai voar solo, no já conhecido endereço http://www.blogdebola.com.br . Já está valendo, aliás, mas sem pressa. Por enquanto ele foi apenas migrado. Aos poucos vai rolar novo layout, novos amigos, novos colaboradores e nova fase. Independente Futebol Clube.

Agradeço ao Portal e sobretudo a todas as pessoas.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
08/02/2013 - 15:55

Uma Copa sem Cristiano Ronaldo

Compartilhe: Twitter

Se a Copa do Mundo do Brasil fosse amanhã, ela não teria o segundo melhor jogador do mundo nela.

Cristiano Ronaldo, que tem duas Copas do Mundo no currículo, amarga um terceiro lugar no seu grupo nas Eliminatórias, atrás de Rússia e Israel. Tem tempo ainda, mas a realidade de Portugal mostra um time fraco, irregular e totalmente dependente de CR7 na frente e de Pepe na retaguarda. É mais provável que o time esteja prestes a quebrar aquela que seria uma inédita sequência de quatro Mundiais consecutivos dos portugueses.

CR7 não tem culpa. Portugal chegou a ter vários jogadores de ponta no mesmo time. Ainda que nunca tenha apresentado um futebol digno de seu grande jogador em todos os tempos, foi justamente nestes dois últimos Mundiais que a equipe alcançou um honroso quarto lugar em 2006 (com direito a histórico jogo contra a Holanda com 12 cartões amarelos, uma das maiores pancadarias da história das Copas) e vendeu caro para a campeã Espanha (por 0x 1) a vaga nas quartas-de-final em 2010.

O impacto de não ter Cristiano Ronaldo no Mundial é sem precedentes no futebol. A história conta algumas histórias, tristes, de grandes craques que jamais disputaram a Copa, como Di Stefano, George Weah, George Best. No Brasil, Alex, para lembrar um em atividade.

Não é o caso de CR7, com dois mundiais nas costas. Mas talvez seja a ausência mais cruel de todas. Seja pelo que representa o jogador para o “show”. Seja porque Cristiano luta gol a gol para ser o melhor do mundo.  Aqui mesmo já falamos de suas incríveis médias e como Messi precisa jogar todos os jogos para manter um corpo de vantagem em relação português.

De todas as derrotas que Cristiano Ronaldo têm sofrido de Messi, é justamente na Copa que ele tem a “desforra”. Os dois têm duas Copas. Se nenhum foi exatamente genial nelas, pelo menos o português marcou 2 gols contra apenas 1 do argentino. E, além de ser semifinalista em uma delas, não sofreu a humilhação de tomar 4 gols da Alemanha como sentiu na pele Messi em 2010.

Sua coleção de reações ao fato de ser o segundo melhor do mundo há 4 anos dá uma boa dimensão do que seria para ele assistir ao Mundial do Brasil da televisão. Ruim para ele. Pior para o Mundial.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Sem categoria Tags: ,
16/10/2012 - 17:54

Alemanha 4 x 4 Suécia

Compartilhe: Twitter

Em 9 de junho de 2006, eu estava em Berlim para a abertura da Copa do Mundo, entre Alemanha e Costa Rica. O jogo foi 4 x 2 para os anfitriões, neste mesmo estádio Olímpico onde a Alemanha abriu 4 x 0 e cedeu o empate aos suecos nesta terça-feira pelas Eliminatórias da Copa do Brasil.

Me veio a cabeça uma turma de torcedoras suecas que cruzei aquele dia nas ruas … Elas devem estar felizes.

Ps: A foto é minha mesmo. Reprodução liberada.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
28/09/2012 - 10:36

Para inglês ver

Compartilhe: Twitter

Brasil x África do Sul, no Morumbi, não valia nada. Se um pai resolvesse levar a esposa e dois filhos para ver o jogo, gastaria 240 reais. E encarar, assim, o desconforto para ir e voltar ao Morumbi, uma quantia razoável para estacionar o carro e a chatice de não ter lugar marcado para sentar.

Veja só quanta diferença.

Na minha caixa de entrada, hoje, recebi um email marketing para eu comprar ingressos para o jogo oficial das Eliminatórias para a Copa de 2014, quando o English Team recebe San Marino em Wembley. O ingresso, mesmo convertendo moeda a moeda sem levar em conta o poder aquisitivo de cada um dos países, é mais barato na Inglaterra. Com 60 libras, cerca de 200 reais, dois adultos e duas crianças pegam um confortável trem até Wembley e assistem ao jogo no mais confortável dos estádios, coberto para a torcida, quentinho, gramado impecável e com lugar marcado.

E, convenhamos, time por time, este Inglês deve ser um dos piores dos últimos tempos, ou de todos. Ou seja, promoção de ingressos é o mínimo. Comprando, o torcedor ainda ganha prioridade para os ingressos do amistoso contra o Brasil.

O que mais espanta este blogueiro é que a Seleção ainda reclama. Segundo matéria de Marcel Rizzo na última quinta na Folha de São Paulo, os dirigentes acreditam que o problema é que o ingresso é muito barato. Reproduzo trecho da reportagem:

Segundo Del Nero(Marco Polo, vice-presidente da CBF), a ISE e a Pitch (empresas que negociam os amistosos da Seleção) tiveram prejuízo nos amistosos organizados neste mês. No dia 7, o Brasil bateu a África do Sul (1 a 0) em São Paulo e, no dia 10 derrotou a China (8 a 0) em Recife. Os estádios não encheram.

“Os valores dos bilhetes no Brasil são muito baixos. Eles tiveram prejuízo, não é algo tão simples”, disse Del Nero. Representantes da empresa não foram encontrados.

Pois é.

Imagina na Copa…


Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
13/09/2012 - 10:48

Let’s dance

Compartilhe: Twitter

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
19/07/2012 - 17:41

Vai, craque

Compartilhe: Twitter

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
18/05/2012 - 12:44

Neymar, global

Compartilhe: Twitter

Se me perguntarem, eu sou partidário do “Vai embora, Neymar”, que o colunista da Folha de SP Lúcio Ribeiro levantou como bandeira ainda em 2011. É só procurar aqui nos arquivos deste blog que compartilho de opiniões parecidas. Mas para resumir, eu acho que o Brasil precisa segurar jogadores, sim, nos seus campeonatos, para elevar o nível do futebol por aqui.

Mas eu acho que antes de segurar um craque do tamanho do Neymar, a gente tem que segurar nossos médios. Repatriar todo o pessoal que está na Ucrânia, na Rússia, em Portugal, na Turquia. Jogadores que não estão nos clubes top das grandes Ligas idem.

Volta Nilmar, Alex, Fernandinho, William. Volta Denílson e Jadson (como voltaram), volta Lucas, volta Anderson. São jogadores bons, mas que poderiam estar por aqui, tornando o campeonato Brasileiro mais forte e os times voltarem a ser as grandes fontes e base da Seleção Brasileira.

Mas Neymar? Não, discordo. Neymar pode ser um Ronaldinho Gaúcho, um Ronaldo, um Romário, um Rivaldo, um Kaká, todos eles eleitos melhores jogadores do mundo. E estes foram grandes porque conquistaram a Europa, sendo a estrela de grandes clubes e vencendo nas Ligas mais difíceis do planeta.

Aqui, Neymar destoa. Em vez de nivelar, desequilibra. Em vez de aprender a encarar bons zagueiros, nada de braçada nas frágeis zagas brasileiras. Em vez de aprender a jogar em pé, é totalmente protegido pelas péssimas arbitragens brasileiras. Em vez de aprender a tocar a bola, pega ela e vai para cima em TODAS as jogadas, o que é bom para ele, mas não necessariamente para um futebol coletivo.

Neymar é um craque  global. Internacional. E precisa provar lá isso, ao lado ou contra Iniesta, Thiago Silva, Cristiano Ronaldo, Sneijder, Messi entre outros. Tão global que é a estrela do comercial “longa metragem” da Nike para a Eurocopa (veja bem, torneio em que só jogam europeus), neste ótimo filme feito pela agência Wieden+Kennedy.

A trilha sonora, para quem curtiu,  é da banda “The Eighties Matchbox B-Line Disaster” e chama Chicken.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
23/02/2012 - 12:58

Mais dois gifs animados para a coleção…

Compartilhe: Twitter

Ai ai… Este blog não resiste a um gif animado. Imagina dois!

Para ver outros, basta clicar na tag abaixo…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , ,
15/08/2011 - 19:38

Aguero, mas pode (quase) chamar de Romário

Compartilhe: Twitter

Não é porque Kun Aguero jogou o que jogou na sua estreia pelo City, contra um adversário fraco, que eu iria dizer isso aqui.

Na verdade, eu já tinha falado esta sandice muito antes, em 2007 e este link comprova.

“Aguero, a sensação argentina, lembra (eu disse lembra) o jeito de Romário jogar. Baixinho, difícil de derrubar, sempre na perna direita, cabeça levantada, matador incansável. Dá gosto de vê-lo.”

Cada vez mais firme na Seleção e agora com o Campeonato Inglês pela frente, num time sem a tradição dos grandes, ainda falta um feijãozinho extra, claro, para ele se consagrar de vez como o Baixinho brasileiro.

Agora, a semelhança é cada vez mais assustadora na minha opinião. Hoje, sem querer, eu achei essa compilação, que não fui eu que fiz, mas adoraria ter tido o tempo, a capacidade e a competência de fazer. O cara teve a pachorra de colocar lances tão parecidos dos dois que dá até para confundir em algumas das imagens.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
10/05/2011 - 14:59

Estado de Minas, Estado de Minas…

Compartilhe: Twitter

Parece que o pessoal do Estado de Minas precisava de um rostinho bonito e usou meu blog e minha imagem (nenhum deles com autorização, é claro) no novo comercial de google ads deles.

E sem autorização da autora da foto também, a Camila Lisboa.

Enfim… só para registro.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo