Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Libertadores

26/07/2012 - 23:27

La Doce

Compartilhe: Twitter

Questão de uns 3 meses atrás, um SMS do amigo Oliver dizia: “Comprei um livro pra você, mandei pelo correio”. Rara gentileza (livro + correio + presente fora de época), dois ou três dias depois chegou enrolado num papel filme La Doce, do jornalista argentino Gustavo Grabia, sobre a mais famosa (e temida) torcida organizada do Boca Juniors e da Argentina, talvez do mundo.

Apesar do amigo Oliver ser o mentor do sebo/site Raridade, especializado em edições obras especiais, La Doce não é exatamente uma raridade.  Foi lançado no Brasil pela editora do também amigo Marcelo Duarte, a Panda Books. Está nas melhores livrarias, sites e bancas.

Só essa semana finalmente comecei (e terminei) a leitura. La Doce é mais do que um livro com a história da torcida organizada (ou facção criminosa) do Boca. É um estarrecedor relato sobre as relações promíscuas entre seus violentos líderes, o poder público, a política, dirigentes, técnicos e os jogadores.

De Meném a Kirchner, de Maradona a Palermo, o livro de Grabia mostra uma rede digna de filme de Poderoso Chefão de juízes, policiais, promotores e políticos que se envolveram e tomaram proveito do poder emanado das arquibancadas e dos arredores de La Bombonera.

O livro conta a trajetória de ascensão e queda dos maiores líderes da La Doce desde a sua criação, Enrique “Carnicero”, José “El Abuelo” Barrita, Rafael Di Zeo e o atual Mauro Martin. E todas as sangrentas brigas pelo poder entre eles e entre outros membros da torcida.

Como uma máfia, com a conivência de dirigentes, jogadores, a polícia, e a certeza da impunidade, La Doce se notabilizou pela revenda de ingressos doados pelo clube, controlar toda a venda de merchandising e comida nos arredores do estádio, estacionamento, entre outras atividades ilícitas. Passaram de brigas com as mãos dos primeiros anos para sangrentas batalhas com armas de fogo que marcam a torcida até hoje.

Com a maioria dos jogadores nas mãos (invadem a concentração e o clube como querem e os jogadores que “colaboram” com um dinheirinho são poupados das vaias), eles também faturam fortunas levando os craques do Boca para eventos deles, todos cobrados. Um telefonema e os “torcedores” descolavam uma foto com Palermo ou uma pelada com Riquelme. Num episódio anterior, um dos mais lights que o livro relata, ainda com El Abuelo no comando, os torcedores invadiram a concentração e mandaram tocar a bola para um jovem Maradona. El Diez, aliás, foi íntimo de Rafa Di Zeo, o mais charmoso e influente dos capos da Barra, por assim dizer. Recentemente, Martin faria o mesmo com Riquelme, exigindo que o ídolo maior do clube passasse a bola para Palermo, o “melhor amigo” da Organizada entre os jogadores.

Carlos Bianchi, diga-se, ao menos na versão do autor, é um dos poucos técnicos que não aceitou a influência da torcida no seu time. Mas o acordo não foi simples. Os dirigentes tiveram que “pagar um extra” para a arquibancada principal da La Doce poupar o time durante o comando do treinador.

O livro relata também grande parte das mortes promovidas e episódios épicos que envolvem desde brigas internacionais (como uma surra que deram nos hooligans ingleses na Copa de 1986 no México, em viagem grande parte pratrocinada pelo próprio técnico Bilardo) até inglórias batalhas em Buenos Aires contra as barras dos inimigos de outros clubes e mesmo contra grupos rivais dentro da própria La Doce.

Recomendo.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Libertadores Tags: ,
28/05/2009 - 16:22

Direto da Arquibancada (quase): Cruzeiro 2 x 1 São Paulo

Compartilhe: Twitter

(Quase porque só tinha cadeira especial ainda na bilheteria. Então vá lá.)

– Tudo em relação ao Mineirão é especial. Grande e, quando cheio, espetacular. Aquela cobertura que pega parcialmente a arquibancada garante uma acústica que faz dos jogos lá provavelmente os mais barulhentos do Brasil. A torcida do Cruzeiro se inflama como quase todas as outras, mas a quantidade de gente e a acústica fazem dela especial.

– Antes, porém, a torcida sofre um pouco para chegar, pois o estádio é afastado do centro da cidade. Resultado: já que é longe mesmo e não pode vender bebida nos arredores, eles levam a festa pro estádio. Os carros vão parando pelos estacionamentos, as pessoas vão tirando bancos do porta-malas e até churrasqueiras em alguns casos. Lembra muito o que acontece antes dos jogos de futebol americano e de beisebol nos Estados Unidos. Piquenique ou churrasquinho no estacionamento para esquentar.

– Tudo só para esquentar, que fique claro, porque ir ao Mineirão e não comer o Tropeiro é como não ir ao Mineirão. Feito ali quentinho na hora no prato de plástico. Deixa tomo mundo ligadão para o jogo.

– Parentêses: as mulheres que frequentam o estádio na torcida do Cruzeiro não devem em nada às da Arena da Baixada ou o Beira-Rio. Fecha parênteses.

– O Mineirão está com dois belos telões, uma trás de cada gol. Mais legal ainda, os telões ficaram passando gols da final da Copa do Brasil de 2000 Cruzeiro 2 x 1 São Paulo, de virada. E cada vez que o Cruzeiro vira, no telão, a massa ia à loucura comemorando como se tivesse sido naquele momento. Reveja os melhores momentos deste jogaço de 2000.

– E então começa o jogo e…. caaaaiu o bandeirinha! Que cena sensacional. Exatamente a minha frente. Achei que seria substituído. Mas bandeirou no sacrifício (e acertou tudo).

– Kleber e Dagoberto. O que eu posso dizer desses dois? Eles vivem reclamando de perseguição da arbitragem brasileira. Aí chamam um juiz gringo para apitar. Desses que não fazem ideia quem é Kleber e quem é Dagoberto. Desses que deixam o jogo correr como os dois querem e não dão falta besta. Não deu nem 30 minutos de jogo e os dois já estavam amarelados.

– Um juiz caolho que apita futebol feminino no Vietnã daria cartão para Kleber e Dagoberto em qualquer jogo que eles venham a disputar. E eles reclamam de perseguição…

– E o intervalo chega com o Mineirão indo abaixo. O gol fez com que a torcida passasse os 15 minutos gritando e pulando.

– Dava até para ouvir o coro, tímido, de: ‘O Barcelona, pode esperar, a sua hora vai chegar!’

– O jogo começa ainda melhor no segundo tempo. O São Paulo vai para cima e Fábio mostra porque é considerado um dos melhores goleiros do Brasil. Quando o empate finalmente sai, a torcida do São Paulo, atrás do gol na geral, explode.

– O Cruzeiro não tinha na partida a habitual inspiração e, então, foi na força. Zé Carlos é chamado e a torcida aplaude. É a dose bruta para peitar Miranda, André Dias e o reino encantando dos volantes do MUricy (assunto para outro dia).

– O São Paulo poderia ter feito o segundo, mas sempre esbarrou em Fábio. O Cruzeiro foi, então, e fez. Festa do torcida. O mesmo resultado da final da Copa do Brasil 2000 e a vantagem do empate no Morumbi.

– O São Paulo também sai feliz com o gol fora de casa. Resta saber como será a volta…

Leia outros Direto da Arquibancada

Autor: - Categoria(s): Direto da Arquibancada, Libertadores Tags: , , , , ,
27/05/2009 - 18:13

Barcelona, adversário do Cruzeiro…

Compartilhe: Twitter

Calma, calma…

Isso é o que se diz aqui na metade azul de Belo Horizonte, palco do jogo Cruzeiro x São Paulo logo mais. Ninguém acredita que possa dar outra coisa.

Amanhã, então, este blog promete:

– Cenas direto da festa na cidade de Barcelona que ninguém viu (a verdade nua e crua);

– Impressões do Estádio Olímpico de Roma que só quem esteve lá sabe contar;

– Tudo.. mas tudo mesmo sobre o duelo do ano, entre Cruzeiro x São Paulo, direto do Mineirão;

– e uma fantástica história de chilenos loucos por futebol em… Porto Alegre, torcendo pelo Coxa contra o Inter

– E otras cositas mas…

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Libertadores Tags: , , , , , , ,
14/05/2009 - 16:41

Podia ser melhor que a Libertadores, mas ainda é a ‘Copinha’ do Brasil

Compartilhe: Twitter

O Barcelona está a um empate de ser campeão espanhol. Está também na final da Champions League. Nem por isso o time deixou de, na última quarta, entrar em campo para disputar (e vencer o Athletic Bilbao) a final da Copa do Rei, a Copa do Brasil deles.

O Manchester United está a um empate de ser campeão inglês. Está também na final da Champions League. Nem por isso, deixou de ser campeão da Copa da Liga Inglesa 2009 (a Carling Cup) na final contra o Tottenham. Mais ainda, foi para a semifinal da FA Cup, a Copa do Brasil deles, e perdeu nos pênaltis para o Everton.

Nas Copas nacionais europeias, é assim. Todo mundo joga, independente se está na Champions League, Copa da Uefa ou onde quer que esteja. Já aqui, no Brasil, aquela que deveria ser uma competição espetacular, vira quase de segundo escalão.

A Copa do Brasil sem os times que estão na Libertadores perde muito e vira a ‘Copinha’ do Brasil. Chega a ser patético imaginar que o São Paulo, para ter o título inédito da Copa do Brasil que falta na sua galeria de troféus, precisa dar um jeito de NÃO se classificar para a Libertadores um ano desses.

Como comemorar uma conquista tão importante se você não enfrentou aqueles que, teoricamente, são os 5 melhores times do Brasil (no atual caso São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro e Sport).

Como explicar que o Sport, atual campeão, não pode defender seu título, pois está agora em ‘outro nível’, acima.

Com todos os times na disputa, num país como o Brasil em que existem muito mais equipes com tradição de títulos do que nos europeus, a Copa do Brasil, desde antes das oitavas-de-final, já seria um campeonato de nível muito maior do que a própria Libertadores, que na atual fase ainda reúne times como os fracos venezuelanos, por exemplo, em plenas quartas.

A CBF precisa dar um jeito de organizar o calendário e colocar todo mundo na Copa do Brasil, como era na época em que ela foi criada. Caso contrário, a Copa do Brasil seguirá sendo uma competição menor, um prêmio de consolação ou o ‘caminho mais curto para a Libertadores’.

Para aqueles que gostam da desculpa do calendário apertado, aqui vão alguns números interessantes.

Com o jogo de ontem, contra o Wigan, o Manchester United já completou 63 partidas na temporada 2008-2009. Vidic participou de 53 deles. Cristiano Ronaldo, de 51 e Tevez, de 49. Em oito meses. Ou seja, cada um deles jogou, em média, um jogo a cada 4 dias. Pelo clube apenas, diga-se, pois todos eles ainda defendem suas seleções nacionais.

Nunca vi nenhum deles reclamando. Pelo contrário, Cristiano Ronaldo deu um xilique no final de semana porque foi substituído e Tevez pediu para sair do time porque não é aproveitado como gostaria.

Autor: - Categoria(s): Libertadores Tags: , , , , , ,
15/04/2009 - 10:44

Quem tem medo do Manchester United?

Compartilhe: Twitter

O Porto já fez o mais difícil. Fez dois gols na inacreditável zaga do Manchester United, que começa com Rooney e termina na muralha Van der Sar. Melhor ainda: os dois gols foram em Old Trafford.

Teoricamente o mais fácil, agora, é ficar no 0 x 0 em casa nesta tarde e despachar o super favorito do ano e atual campeão do mundo Manchester United. ‘Tão fácil’, que dá até medo.

Medo inclusive é o tema da capa de dois dos principais jornais de esportes em Portugal, como nota-se abaixo.

A falta de medo explica-se. O Porto jamais perdeu em casa para um time inglês em Champions (foram 11 partidas). E não perder é mais de meio caminho para o Porto. O time só sai desclassificado em caso de empate com mais de 3 gols. Ou derrota, é claro.

Jogão, que serve de matinê para Palmeiras x Sport, a grande final do dia.

Autor: - Categoria(s): Futebol Internacional, Libertadores Tags: , , ,
04/03/2009 - 15:45

A saga de Hércules Leônidas

Compartilhe: Twitter

Pessoal que torce pelo Sport vai gostar mais. Mas boleiro que gosta de uma história bem boa não vai achar nada ruim a saga de Hércules Leônidas, um ‘louco por futebol’.

Aqui vai o começo e o link para o resto…

Ninguém sabia ao certo quem era ele. Para os médicos, era apenas o paciente 130505, como constava em seu prontuário. No tal prontuário algumas informações como:

“Data de entrada: 15 de junho de 2008”

“O indivíduo foi encontrado na esquina das ruas (nome omitido por exigência do editor) e (mais um nome omitido por exigência do editor, seja lá quem for), balbuciando palavras e expressões incompreensíveis em vários idiomas estrangeiros, dentre os quais foi possível identificar os idiomas espanhol e arabe. O referido indivíduo exalava um odor desagradável, provavelmente resultante de vários dias sem banho, além de encontrar-se em avançado estado alcoólico.”

Leia a íntegra de ‘Os 14 Trabalhos de Hércules Leônidas, parte 1’, por Mauricio Targino.

Autor: - Categoria(s): Libertadores Tags: ,
21/02/2009 - 14:13

A capa de jornal da semana

Compartilhe: Twitter

Só para constar (já que nestes seis anos de blog eu já publiquei milhares de capas de jornal aqui, sobretudo gringas), a capa de jornal da semana é esta, de quinta-feira, do Jornal do Commercio, direto do Recife.

Autor: - Categoria(s): Libertadores Tags: , ,
30/01/2009 - 12:57

Real Potosi: o time mais feio do mundo

Compartilhe: Twitter

Minha bronca e desinteresse pelo futebol francês começa pelas camisas e aquele monte de patrocínio. Mas esqueça, temos novos padrões de feiúra de uniformes de futebol. O Real Potosi tem oficialmente a camisa mais horrível e poluída do mundo.

O uniforme tem mais de 10 logomarcas diferentes espalhadas na frente, nas costas, no calção, na manga. Na barriga (que era vasta) tinha três deles. Eles trocaram de camisa no intervalo (a do primeiro tempo tinha uma manga branca esquisita com mais coisa escrita), mas nem isso deu jeito.

Aí eu resolvi conhecer um site do time, pra ver se encontrava uma camisa para comprar (ia bem ter tamanha tosquice numa coleção, vai?). Não tinha… mas me ajudou a constatar que o Real Potosi também tem alguns dos sites mais feios do mundo, inclusive este com um leão roubado no google images de header. Veja um print da capa do imperiorealista

Sem falar também deste escudo, totalmente sem inspiração e escondido em meio a tantos patrocínios.

Por fim, como se precisasse, tenho que mencionar o futebol horroroso do Real Potosi no Parque Antárctica na noite desta quinta-feira. Nem aquela vocação boliviana de irritar tocando a bola eles conseguem. Não trocam dois passes. Não chutam, não cruzam bem. Não fazem nada. Luxemburgo ainda disse após o jogo que eles têm uma jogada forte de …. tiro de meta (???!!!). Fora a forma física, que foi motivo de chacota geral nas transmissões de rádio, internet e TV.

Palmeiras classificado para o grupo da morte da Libertadores. Fácil.. e bonito.

Foto AP

Autor: - Categoria(s): Libertadores Tags: ,
Voltar ao topo