Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Brasileirão

25/11/2008 - 12:52

Demitam mais técnicos, por favor!

Compartilhe: Twitter

Para o bem do campeonato, aquela ladainha de que tem que manter o treinador, confiar no trabalho, dar tempo, etc podia muito bem virar balela.

A falta de Alex Fergunsons e Muricys pode ser prejudicial para as equipes, mas é uma delícia para o campeonato.

Eu não tenho medo de cravar que dois dos momentos mais emocionantes deste campeonato (que já é muito emocionante) aconteceram graças a demissões de treinadores: a goleada do Flamengo no Palmeiras e a goleada do Vitória no Grêmio.

Caio Junior e Vágner Mancini foram demitidos de seus clubes e, talvez até por serem novos na profissão e ainda não estarem acostumados ao troca-troca, não superaram. Os dois ‘se queimaram’ com seus ex-clubes e não esconderam de ninguém que entrariam em campo com sabor especial de vingança. Vingança, diga-se, que decidiu o campeonato. Não estamos falando de joguinhos de meio de temporada, estamos falando de dois jogos que decidiram o Brasileirão 2008 em favor do São Paulo.

Caio ‘fracassou’ no Palmeiras ao perder a vaga na Libertadores mas, na verdade, como o preterido Dorival Junior, foi demitido mesmo porque ainda não é do primeiro escalão. Luxemburgo era a grife. Era o nome. O sonho. E o futebol é cheio dessas coisas. O menor ganha do maior. O coitadinho bate o gigante. Não era preciso ser um grande conhecedor de 4-3-3 ou apontar na prancheta duas linhas de quatro para prever que Caio Junior ia fazer o Flamengo tirar o Palmeiras do Luxa da briga pelo título como tirou. O futebol tem tática, tem regra, mas também tem brio.

Mancini foi demitido invicto apenas porque.. não se sabe. Mas basicamente, não era técnico de confiança. Ou talvez porque não tinha a cara feia de Celso Roth e não fosse gaúcho o suficiente. Este papo de que jogava muito pra frente era balela, coisas que as pessoas gostam de acreditar. Não dá para dizer que a diretoria tricolor estava errada, afinal o Grêmio que há pouco estava na segunda divisão, desbancou favoritos e foi o único capaz de assustar o São Paulo até o fim.

E, ano que vem, a história vai se repetir. Muito provavelmente Dorival Junior vai calar o Couto Pereira em algum momento onde quer que esteja. Assim como carimbou o seu quase Palmeiras logo na primeira rodada do Brasileirão quando o Coxa bateu o Palmeiras por 2 x 0.

Demitam mais técnicos, de preferência os bons técnicos. A gente gosta.

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: , , , , ,
24/11/2008 - 02:46

Duas versões de um São Paulo tri(hexa)campeão

Compartilhe: Twitter

 

Durante o jogo Vasco 1 x 2 São Paulo, além da já habitual troca ferrenha de sms, recebi duas ligações são-paulinas totalmente diferentes, mas que mostra como é louco este tal do futebol.

Ligação 1
Nome (fictício): Peçanha
Profissão (fictícia): Violoncelista
Cidade (Fictícia): Porto das Flores
Idade (real): 56
Tempo: 32 do segundo tempo
Placar: Vasco 1 x 2 São Paulo

– Mauricio, eu estou impressionado com o São Paulo. Estão pedindo para perder.
– Impressionante
– Viu o gol que o Edmundo perdeu agora?
– Nem fale
– O Dagoberto dando drible da vaca! Eu tirava na hora.
– Pois é
– Esse estrelinha do Hernanes. Só sabe passar o pé em cima da bola. Está estragado já. Espero que esteja vendido.
– Incrível
– O Hugo está péssimo. Não é possível que o Muricy não tira o Hugo.
– Que coisa. E o Borges?
– Esses babacas estão boicotando o Borges. Ele fez os três gols naquele jogo e ainda roubou o gol do Zé Luis. O Hernanes, o Dagoberto, o Jorge Vagner e o Hugo não querem que ele vire o herói do título.
– Deve ser isso. Bom, vamos ver até o fim. Um abraço
– Desculpe o desabafo. Mas o time está pedindo para perder. E merece. Vou torcer para não virar.

Ligação 2
Nome (fictício): Ricardo
Profissão (fictítia): Óptico
Cidade (real): São Paulo
Idade (real): 22
Tempo: 38 do segundo tempo
Placar Vasco 1 x 2 São Paulo

– Mauricio, que time é esse?
– Impressionante
– Parece juvenil contra profissional, não?
– Nem fale
– Viu o gol que o Edmundo perdeu? Como é patético este Edmundo
– Pois é
– O Hernanes é um monstro. O Dunga é muito burro de não colocar ele de titular
– Incrível
– Quando o Hugo está em campo, tudo muda de figura. E pensar que a gente quase mandou ele embora.
– Que coisa. E o Borges?
– Não está muito bem hoje. Mas ao mesmo tempo, o Dagoberto está incrível. Correndo demais. Faltou o gol só. Espírito de equipe. Um jogou para o outro, né?
– Deve ser isso. Bom, vamos ver até o fim. Um abraço.
– Desculpe de incomodar aí na hora do jogo. Mas é que este São Paulo joga demais. O hexa chegou.

ps: aprendi a responder assim para os torcedores em transe e apaixonados no calor da batalha com o Tostão na Copa de 2006. Qq dia reproduzo este post de 2006 aqui.

 

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags:
Voltar ao topo