Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Brasileirão

05/03/2012 - 11:37

O melhor time do Brasil

Compartilhe: Twitter

O canal Premiere Futebol Clube, o PFC, lançou uma campanha com jogadas “recortadas e coladas” de vários jogos de 20 clubes do Brasil. O projeto, muito bem bolado pela agência Wieden+Kennedy, teve consultoria de futebol da minha empresa, a mob36, com um trabalho minucioso que não teria acontecido não fossem os jornalistas/boleiros Renato Ernani e Mauricio Targino.

Foram meses em que nós pesquisamos incansavelmente jogadas e ídolos do ano 2000 para cá dos 20 times, valendo apenas do Brasileirão e dos Estaduais. A narração final deu o toque que faltava. Os resultados, você assiste no link abaixo. É só clicar no seu time e ver como ficou:

O Melhor Time do Brasil

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: ,
30/09/2011 - 17:51

Reestreia vale?

Compartilhe: Twitter

Luis Fabiano é um especialista em marcar gol em estreias.

No São Paulo, numa final de Rio-São Paulo, marcou logo dois gols contra o Botafogo, no 1 x 4 no Maracanã.

Pelo Porto, fez o primeiro gol do time no empate em 2 x 2 contra o Estoril, também na sua primeira vez vestindo a camisa do clube.

Pelo Sevilla, marcou contra o Valencia em pleno Mestalla, numa vitória de 2 x 0.

Pela Seleção, marcou contra a Nigéria em sua primeira atuação, em 2003, feito que, na época, apenas Pelé, Zico e Rivaldo haviam conseguido.

Pessoal da Nike sacou isso e fez uma pequena entrevista sobre gol em estreias. Aqui, ó:

Resta saber se domingo agora, contra o Fla, tem gol do Fabuloso.

Reestreia vale?

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: ,
16/09/2010 - 19:40

Sobre Neymar

Compartilhe: Twitter
Autor: - Categoria(s): Brasileirão, Futebol Internacional Tags: ,
05/08/2010 - 18:05

Opa…

Compartilhe: Twitter

gif animado da semana…

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: , ,
15/03/2010 - 18:43

Armero e o Ritual do Tamanduá Africano’

Compartilhe: Twitter

Eu sabia que já tinha visto isso…

… em algum lugar.

Pra quem não tem ideia do que está acontecendo, são cenas do antológico Namorada de Aluguel (Can’t Buy Me Love), filme de 1987. O ‘galã’ magrelo Patrick Dempsey hoje é o badalado Dr. Derek Sheperd, da série Grey s Anatomy. A mocinha que tirou o sono de adolescentes da época era Amanda Peterson.

Nerd de tudo, o protagonista, numa baita sacanagem do irmão mais novo, aprende a dançar sem querer num programa do tipo Discovery Channel durante a reprodução do ritual de dança do tamanduá africano. No baile, ele mostra os passos, que acabam pegando.

Aaaa Armero. Descobri onde você aprendeu a dançar. Gênio.

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: ,
07/09/2009 - 01:47

Obina é melhor do que Eduardo da Silva?

Compartilhe: Twitter

O árbitro Cléber Welington Abade, de Palmeiras 2 x 1 Barueri, marcou um pênalti inexistente de Ralf em Obina, que garantiu a liderança do Brasileirão em mais esta rodada ao Palmeiras de Muricy. Veja:

O árbitro Manuel Enrique Mejuto Gonzalez, de Arsenal 3 x 1 Celtic, marcou um pênalti que não existiu que ajudou o Arsenal a seguir na Champions League, deixando de fora o tradicional time escocês. Veja:

As jogadas são muito parecidas. Dois brasileiros simularam dois pênaltis inexistentes que foram marcados e convertidos. Os julgamentos? Totalmente diferentes. Moralmente e judicialmente, diga-se.

No Brasil, o árbitro brasileiro, Cléber Abade, virou o vilão da rodada. O consenso é que trata-se de um ‘péssimo árbitro’, incapaz de apitar e faz parte da ‘horrorosa arbitragem brasileira’.

Obina não se jogou, apenas escorregou, mas ao cair já levantava os braços, inflamando a torcida e pressionando o juiz. Nenhum paladino da justiça reclamou de Obina. Jamais o atacante palmeirense enfrentará um tribunal ou uma crítica, além desta que você lê. Afinal, no Brasil, ser desonesto no ‘nível-Obina’ é aceitável e louvável. É ser esperto ou malandro. Bobo é o juiz, que cai nessa. Abade certamente será levado a mais uma geladeira e Obina vai a alguma mesa redonda dizer o quanto ele é agora feliz no Palmeiras.

Na Europa, o árbitro Manuel Enrique Mejuto Gonzalez foi considerado tão ou mais vítima do que o goleiro Artur Boruc, que desesperou-se com razão ao ver a marcação do juiz. Ninguém abriu a boca para falar do árbitro. Só existe um culpado na história. Chama-se Eduardo da Silva, aquele menino sofrido que teve a perna dilacerada por um zagueiro grosso há tão pouco tempo mas que, nem por isso, no Reino Unido, tem direito de dar uma de malandrão e enganar as pessoas com seu teatro cafona. Recebeu dois jogos de suspensão da UEFA na própria Champions e certeza de vaias por onde passar.

Eu sei que o futebol tem as suas picardias e maldades. Não gosto, aliás, da onda politicamente correta. Mas, convenhamos, a crise ética no Brasil passa pelo futebol. O vilão é o herói. O juizão é punido por não pressupor a malandragem. E o malandro sai bem na fita.

O pessoal do tribunal deveria punir Obina, como na Inglaterra fizeram com Eduardo. Quem sabe, assim, aprendemos.

Sobre a crise ética do futebol brasileiro, leia também neste blog: Senhores do tribunal, punam Domingos e não Diego Souza

Autor: - Categoria(s): Brasileirão, Futebol Brasileiro, Futebol Internacional Tags: , , , ,
16/08/2009 - 19:20

Se o futebol tivesse lógica…

Compartilhe: Twitter

O Palmeiras não `confiou` no seu treinador interino. Agradeceu, reverenciou, aplaudiu. A torcida pediu, os jogadores correram muito mais do que corriam com o Luxa mas, no final, a diretoria tomou a `atitude sensata` e contratou o mais vencedor dos técnicos de futebol da era de pontos corridos no Brasil: Muricy Ramalho.

Jorginho virou um dos aspones de Muricy. Não acompanho todos os dias o treinador, mas gente em quem eu confio muito diz que os assessores de Muricy mandam pouco ou quase nada, ainda mais um que acabou de chegar ao clã.

A `atitude sensata`, ainda que coincidentemente (ou não), diminuiu o ritmo do Palmeiras. Que agora assiste sua liderança ameaçada por Internacional, Goiás,  São Paulo e Galo após 3 empates seguidos.

Cerca de 400 km do Parque Antárctica, a Gávea viveu dilema parecido. Contratar ou não contratar um novo treinador apos a saída de Cuca. Optaram por manter o interino. Tomaram, também, em vista do que se apresentava no mercado, uma `atitude sensata`. O interino, diga-se, que como Jorginho fazia (e ainda faz) campanha, se não arrasadora, muito positiva.

Mas eis que uma goleada do Grêmio, com o Imperador em campo e tudo, muda tudo de figura. O Flamengo desce pelas tabelas com ou sem o ombro de Kleberson machucado, vê a euforia-Andrade passar, e termina o turno mais perto da zona de rebaixamento do que do título que não vence há 17 anos.

Não dá, claro, para comparar a tentativa de ser profissional da nova diretoria do Palmeiras com o amadorismo histórico dos cartolas rubro-negros.

Mas, de qualquer forma, fica a pergunta: acertou o Palmeiras ou acertou o Flamengo?

Se o futebol tivesse lógica…

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: ,
11/05/2009 - 14:14

‘Poupar psicológico’ ou o golaço de Mano Menezes

Compartilhe: Twitter

Eu sempre sou contra poupar jogador por poupar. Se estiver sentindo algo, se estiver fora de forma, se estiver indo para o sacrifício, claro, faz sentido. Caso contrário, eu sempre acho que a sequência de jogos entrosa, dá ritmo e ajuda mais do que atrapalha. Ainda mais no futebol brasileiro onde as equipes são formadas de seis em seis meses.

Mas tem casos em que o ‘poupar’ pode ser bem interessante. Veja o caso do excelente técnico Mano Menezes na partida contra o Inter. Durante dois meses, só se falou do Inter. E com razão. O time está com um elenco tão bom, entrosado e voando, que será zebra (e decepção) se em novembro não for um dos clubes a disputar o título.

Já o Corinthians vinha com o peso da invencibilidade em casa nas costas. Viria, também, sem Ronaldo, seu ‘decididor’ de jogos desde que o bicho pegou pra valer (Paulistão e Copa do Brasil).

Fosse afoito, Mano Menezes escalaria seu time titular sem Ronaldo. Afinal, ganhar de um candidato ao título, em casa, é quase uma obrigação em campeonato de pontos corridos para quem almeja ser campeão.

O problema é que uma eventual derrota para o Inter com o time titular sem Ronaldo, poderia causar um desgaste psicológico muito maior do que perder 3 pontos na rodada inicial do Brasileirão. Poderia deflorar um sentimento que já existe, mas ainda não tão declarado: a ‘Ronaldo-dependência’. Ela chegaria com tudo na capa dos jornais e na cabeça dos esforçados jogadores do Corinthians, que certamente pensariam não ser capazes o suficiente.

Se era para ‘perder’, então, Mano Menezes deu o golpe de mestre. Não só poupou Ronaldo como poupou geral. Colocou o time reserva de vez e, de certa forma, desqualificou a vitória colorada. A ponto de 0 x 1 ter sido um resultado magro e, não fosse a pintura de Nilmar, hoje o comentário seria em geral o mesmo do zagueiro Jean, que ao final da partida disse que ‘o Inter não é tudo isso que tão falando’.

A manhã de hoje no treino do Corinthians não é de abatimento de André Santos, Douglas, Jorge Henrique, William, Chicão e etc. Eles não jogaram. Não se sentem menos do que ninguém. Ficam com aquele sentimento de que, caso estivessem todos em campo, poderiam vencer. No final das contas o Inter, poderoso, quase que não ganha do reserva do Corinthians. E, mesmo os reservas, se fortaleceram ao sairem do gramado com uma derrota, digamos, honrosa.

O grupo ganha. Não foi só Nilmar que marcou seu golaço no Pacaembu. Mano também.

Já o Muricy…

Alguém tem alguma explicação para o Borges não ter começado jogando depois de tanto tempo que o São Paulo não joga partida alguma?

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: , , , , ,
29/11/2008 - 15:36

Keirrison na capa

Compartilhe: Twitter

Vamos registrar aqui, afinal, não é todo dia que a camisa do Coxa é destaque principal digital do As, jornal presepeiro e genial da Espanha.

E o pobre do Vasco, sem Eurico e sem documento, que a princípio teria a sorte de não enfrentar um time fora de casa que briga por algo, vai encarar o Coritiba batido que realmente que não briga por nada, mas que tem um piá looooooooouco pra ser artilheiro do campeonato.

Uma esperança para o Vasco: o Keirrison não é nenhum Ronaldo, daqueles que pega a bola, dribla dois, chuta de esquerda e de direita e resolve. Muitos dos gols de Keirrison são de pênalti e a maioria daquele toquinho final, sem goleiro, de presença de centroavante matador. Então ele depende do time todo. Sempre. Vamos ver o que acontece no Couto Pereira neste domingo.

 

Autor: - Categoria(s): Brasileirão, Futebol Internacional Tags: , , ,
27/11/2008 - 12:32

Diga 33 (ou menos de 20)

Compartilhe: Twitter

Kleber Pereira, 33 anos, 21 gols
Keirrison, 19 anos, 20 gols
Washington, 33 anos, 20 gols
Alex Mineiro, 33 anos, 19 gols
Guilherme, 20 anos, 18 gols

A tabela de artilheiros do Brasileirão é um recorte fiel da sociedade futebolística brasileira. Científico quase. Ela é composta de cinco bons jogadores. Três deles são veteranos quase em fim de carreira e dois deles são jovens em busca de um bom contrato no exterior.

Grosso modo, assim é o nosso futebol de alto nível. Polarizado entre jovens cada vez mais jovens e jogadores rodados e de confiança. Jogadores protagonistas entre 22 e 30 anos são cada vez mais raros.

Kleber do Palmeiras é um deles, mas está claramente dando um tempo por aqui, como Adriano Imperador e Ricardo Oliveira já fizeram. Dagoberto e Nilmar, estes sim, são exceções, pois têm 25 e 24 anos, têm mercado, mídia, bons empresários, mas ainda estão por aqui.

Destaca-se quem tem o melhor retirante do futebol internacional e quem tem uma promessinha guardada. Promessinha que vale mesmo em campo, fazendo gols, porque dinheiro que é bom, nem sempre rende. Keirrison, por exemplo, salvo engano, é 20% só do Coxa.

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: , , , ,
Voltar ao topo