Publicidade

Publicidade
08/04/2008 - 18:23

Walcott, Torres, Gerrard, Babel! Que terça-feira!

Compartilhe: Twitter

Que terça-feira. Liverpool 4 x 2 Arsenal foi o jogo do ano até aqui. Craques em campo. Golaços. E o de sempre, raça, determinação e uma camisa pesada.

A camisa do Liverpool, o inglês que mais vezes venceu a Champions League, que vai pegar o Chelsea de novo. O pesadelo de Mourinho (perder do Liverpool) agora pode ser a redenção de Avram Grant. Já pensou se o Chelsea ganha a Champions logo no ano que demitiu Mourinho? Drama.

O jogo foi demais. Diaby abriu o placar para o Arsenal. Um belo gol, pela troca de passes rápidos. Hyypia fez aquele chamado golaço de cabeça para empatar. De longe, de frente, livre, tocou no único lugar possível. Hyypia é um zagueirão digno dos grandes pilotos de Fórmula-1 que a Finlândia produz.

Torres, um dos três melhores jogadores do mundo até aqui na temporada, marcou de novo. Outro golaço. Quando parecia que a fatura estava liquidada, eis que entra Theo Walcott, aquele teen que foi para a Copa da Alemanha que até agora, vamos combinar, nada…

O cara pega uma bola na área dele decidido a calar a minha boca. Sai driblando. Dribla todos que aparecem na frente, vai na linha de fundo e cruza no contrapé, certinho, para Adebayor. O gol mais lindo da noite. Euforia de Nick Hornby e cia.

Mas bastou um primeiro ataque. Primeiro mesmo. Trinta segundos depois Babel entrou driblando na área e sofreu pênalti. Gerrard bateu no alto, lado trocado do pé, bola que geralmente só craque bate (e faz).

Aí ainda restou o gol de Babel, merecidíssimo, que ganhou de Fabregas (que deixa o trio de melhores do mundo da temporada) e tocou na saída do goleiro. Walcott seria o herói. Babel roubou a cena.

Cerca de 290 km de Liverpool, em Londres, o Chelsea precisou de 4 minutos para esfriar a torcida brasileira. Ballack de cabeça. Aí o Fenerbahce se apequenou demais. Alex tinha que ir buscar jogo atrás do Maldonado. Lugano tinha que chegar batendo em gol. Nenhum deles brilhou. Nem ao menos Deivid, que já tinha brilhado demais até então.

Não dava. E o Chelsea depois marcou o segundo com Lampard.

O Chelsea vai para a semifinal, com o fantasma de perder do Liverpool. Desta vez, porém, sem Mourinho, o time é menos baladado, menos favorito. Menos amedrontador. O que, quem sabe, não vira o jogo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para “Walcott, Torres, Gerrard, Babel! Que terça-feira!”

  1. Alexandre disse:

    A diferença entre Liverpool e Arsenal, além da camisa, é a presença de dois craques como Gerrard e Torres. O Arsenal evoluiu, mas ainda falta qualidade técnica e experiência.

    Sobre o outro confronto, o Fener chegou onde era possível e talvez tenha ido até longe demais.

    Nas semis, a camisa pode voltar a fazer diferença, já que o nível técnico entre Chelsea e Liverpool se equivale. Como diria o jargão, “prepare seu coração”.

  2. XINEIZE disse:

    Voces esqueceram um nome do Liverpool que é unanimidade mundial, sem ele o time perde, lembram o ano passado quando ele saiu do jogo contra o Milan, o Liverpool perdeu a mocinha do Morumbi não estava jogando nada com a marcaçao dele, quando ele saiu a mocinha fez uma jogada que resultou no gol e por falar na mocinha do Morumbi, ele foi escolhido o melhor do mundo e aí????? O Milan talvez jogue a proxima Copa da Uefa. E voltando ao assunto estava falando do sensacional, inigualavel e insubistituivel JAVIER MASCHERANO. O coitado do Gerard não joga um quarto do futebol do CHEFITO.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo