Publicidade

Publicidade
06/03/2008 - 19:22

Breno: tão perto, tão longe

Compartilhe: Twitter

O Bayern de Munique, nesta quinta-feira, meteu 5 x 0 no Anderlecht fora de casa pela Copa da Uefa. Lucio não jogou. Mesmo assim, Breno ficou no banco. E não entrou.

Aliás, as estatísticas são cruéis. Sabe quantos minutos o Breno ficou em campo somando Copa da Alemanha, Bindesliga e Copa da Uefa?

ZERO

Isso mesmo. Fez um amistoso logo que chegou. Depois não teve oportunidade nenhuma no time que tem na zaga um de seus principais orgulhos com o trio Lucio, Van Buyten e Demichelis (só dois jogam). E, com a Liga apertada, capaz de não ter muitas chances mesmo.

Tudo bem, numa relax, numa boa (esta biografia do Tim Maia que não me sai da cabeça). Acontece nas melhores famílias, sobretudo com jovens brasileiros em sua primeira temporada na Europa, principalmente na Alemanha.

O problema, para Breno, é que Pequim está aí. E como é que o Dunga vai chamar um zagueiro que, no 65º dia do ano de 2008, ainda tem zero minutos jogados?

Enquanto isso, Henrique ganha a posição de titular no Palmeiras. Joga clássico importante, elogios rasgados de Luxemburgo. Até mesmo Alex Silva, que tem previsão de volta no mais tardar em maio, capaz de jogar mais do que Breno até lá. Fora Gladstone, que não é titular absoluto, mas pelo menos joga frequentemente no Sporting. Um deles será titular ao lado, parece cada vez mais óbvio, de Juan ou Lúcio, já que este é o setor do campo menos favorecido nesta safra de jogadores sub-23 e terá que ser reforçado.

Uma pena. Pois Breno apareceu como uma das mais interessantes promessas do Brasil ano passado. Pena mais ou menos, afinal Breno não foi para o Japão ou à Ucrânia, mas sim para uma das mais importantes equipes do mundo. Não se pode lamentar.

Fato é que, do jeito que vai, Breno vai inventar uma nova geografia. A distância entre Brasil e China para jogadores como Henrique, por exemplo, ficou bem menor do que a distância entre a Alemanha e a China de Breno.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

5 comentários para “Breno: tão perto, tão longe”

  1. Cassiano Sairaf disse:

    Pelo visto vc só comenta o futebol paulista. Mesmo assim ai vai uma dica, o Leo do Grêmio tá jogando muito.

  2. João disse:

    Pensou bonito.
    Bela conclusão.

    Abs.

  3. Hector disse:

    Olha Maurício, concordo com quase todo o teu texto, mas não dá pra dizer que este é o setor menos favorecido nesta safra. Eu diria o contrário, diria que a defesa é dessa vez o grande trunfo no selecionado olímpico. Tem o Breno, que pode engatar até na Olimpíada de 2012, o Henrique, o Alex Silva e outros mais pelo Brasil a fora…

    Confio bastante nessa seleção, ainda mais levando os 3 jogadores com mais de 23 anos, esse selecionado poderá ficar imbatível.

  4. Fábio da Silva disse:

    A defesa do FC Bayern München não tem tanta idade assim, mas pode ser que ocorra uma reformulação no time bávaro para a temporada 2008-09. A diretoria do SPFC foi muito afobada vem o garoto logo no fim do ano passado. Olha a falta que ele está fazendo!

  5. Fábio da Silva disse:

    Onde constar “vem o garoto”, substituir por “em vender o garoto”

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo