Publicidade

Publicidade
24/07/2007 - 11:58

E se o Felipão cortasse o Rivaldo e convocasse o Felipinho?

Compartilhe: Twitter

O Brasil não apenas é o País do vôlei. É também o País condescendente com o vôlei. Trata o esporte como café com leite. Na véspera de uma competição importante, no Brasil, Ricardinho foi cortado pelo técnico, que chamou seu filho para o grupo.

Tudo absolutamente dentro da legalidade, diga-se. Não existe regra que impeça Bernardinho de convocar seu filho ou de cortar o melhor jogador do mundo na atualidade.

Também não existe regra para dar uma explicação clara para o corte. Ele fala o que quiser. Para a versão oficial, quanto menos fumaça, melhor. O problema é quem engole a versão.

Até agora, ninguém foi a fundo. Nenhuma crítica mais contundente. Os comentaristas todos são ex-jogadores, que ainda mantêm a ética do ‘não falo mal de companheiros de profissão’. Ninguém se levantou para dizer objetivamente que Bernardinho errou ou que Ricardinho é mesmo um câncer no grupo. Todo mundo ficou em cima do muro.

E por isso temos que engolir a versão do atraso e depois a tal seqüência de fatores que vêm se acumulando. Que fatores? Que crises?

Em todos estes sete anos, o oba-oba em cima dos “meninos de ouro do Brasil” impediu que alguém pudesse enxergar um pouco além dos pódios. O próprio Bernadinho é crítico em relação ao tema. Disse que o fato vai ser bom pois vai colocar ele (Bernardinho) numa “dimensão mais humana”. Caramba. Transformaram o cara em deus. E nem é culpa dele. Lógico que trata-se de um excelente treinador. Mas deus?

Agora tente transportar esta situação para o futebol.

Véspera da Copa de 2002 e Felipão resolve cortar Rivaldo. Primeiro porque ele se atrasou e depois, vendo que era impossível manter versão tão estapafúrdia, alega que Rivaldo vinha enchendo a paciência já faz tempo.

Não contente, Felipão resolve chamar o meia do Grêmio, não tão bom quanto, mas esforçado e de confiança. Seu filho Felipinho (licença poética), que se junta ao grupo.

Bom, não preciso dizer o que aconteceria, certo? Ia ter nego pedindo a cabeça de FHC até hoje. Provavelmente mais uma CPI inútil para apurar a convocação de Felipinho e o estranho corte de Rivaldo.

O Brasil é bom de vôlei? Sim ,sem dúvida. E muito. O Brasil é o País do vôlei? Não. E nem passa perto.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

18 comentários para “E se o Felipão cortasse o Rivaldo e convocasse o Felipinho?”

  1. woiski disse:

    ótimo post.

  2. Raul disse:

    A comparação não procede apenas quanto ao ” esforçado e de confiança”
    O Bruno ganhou prêmio de levantador da Liga Nacional, além de ser apontado como uma promessa para o futuro da seleção.

  3. Massara disse:

    Ótimo post, Maurício. Chegou a ser hilário. Concordo em gênero, número e grau.

    Mas, sejamos sinceros, o corte do Ricardinho mostrou que “há algo de podre no reino da Dinamarca”.

    Abraços!

  4. Fábio disse:

    Parece que a situação é diferente, mas que alguma não está bem, eu também acho. Espero que a seleção, apesar disso, seja campeã.

  5. maria disse:

    mostra mais uma face da mesma moeda: quem possui o poder faz o que quer e não dá explicação a ninguém. Como se não houvesse responsabilidade com o público, com a torcida, com os passagerios, com o cidadão, com o povo… e aí eu pergunto como que num grito glauberiano: aonde está o povo? onde estamos nós? estamos entre o cangaço e o fanatismo… num misto de “cada um por si até que deus nos acuda’!

  6. Carlos Leonardo disse:

    Desculpe, mas sua análise foi prejudicada pelos péssimos exemplos que você usou.

    1- O Felipão não cortou o Rivaldo. Ele simplesmente não levou o Romário. Só. Se tivesse perdido a Copa, como você mesmo disse, a cabeça dele teria que ser servida em uma bandeja.

    2- O fiho do Bernardinho não é o Felipinho. É o Bruno Rezende, eleito o melhor levantador em atividade no país (e não foi o pais que o elegeu).

    De qualquer forma, não houve voz dissonante na seleção. Os companheiros lamentaram, mas não vi qualquer sinal de motim.

    Liderança também significa cortar na carne, quando se percebe que é o melhor a fazer para alcançar determinados resultados, lá na frente.

    Não tenho a mínima idéia do que causou o corte. Porém, uma coisa eu posso dizer. O Bernardinho seria o último a querer que a seleção perdesse o Pan dentro de sua própria casa, depois de campanhas tão maravilhosas.

    E mais: tenho certeza de que ele sabia bem o risco que ele estava correndo de ter todo o seu (fantástico) trabalho questionado, se o resultado do Pan não atendesse às expectativas criadas.

    Logicamente, toda a carga da derrota seria jogada em cima de uma atitude pretensamente autoritária.

    Infelizmente, nós, brasileiros, só aceitamos que nossos ídolos sejam perfeitos aos nossos olhos. Eles têm que sublimar todas as dificuldades com as quais nos deparamos no dia-a-dia.

    O Bernardinho tem a missão de zelar pela integridade do seu grupo. É obrigação dele agir quando percebe que uma laranja podre pode contaminar todo o cesto.

    Mesmo que essa laranja, aos olhos dos outros, seja a mais suculenta de todas.

    Não importa: é ele quem as cultiva, e é dele a missão de fazer com que eleas não causem indigestão.

  7. Mottahead disse:

    Acho que o que o Bernardinho quis foi valorizar a competição. É normal , depois de uma grande conquista o grupo dar uma relaxada – e quando o capitão chega atrasado, está dando sim um sinal de relaxada.
    Bernardinho parece ter feito o que fez para mostrar ao grupo que férias só depois do Pan.
    Um cara como o Bernardinho não ia jogar uma carreira fora só para ajudar um filho que, convenhamos, não precisa – o menino é bom mesmo.

  8. jaques disse:

    primeira e ultima vez que leio algo postado por vc, leia o texto “CASO RICARDINHO – A VERDADE” de André Kfouri(http://blogol.blig.ig.com.br/), isso sim é apresentar/analisar fatos, ñ esse besterol sem fundamento que tu postou.

  9. ROBERTO CASTRALLI disse:

    até hoje não suporto o felipão,técnico tem que ter a autoridade do conhecimento,comportamento,conciliação.a copa do mundo seria certamente mais bem ganha com romário no grupo.o mundo do futebol estaria mais agradecido porisso. o bernardinho perdeu muito com o corte ,ele tbem foi levantador,comum é verdade,não há nenhuma hipótese do técnico ser mais que o atleta melhor do mundo.

  10. ERNESTO disse:

    É O BERNADINHO ERROU MAS SO CORTOU O RICARDINHO PORQUE ERA O PAN SE FOSSE NA LIGA MUNDIAL OU OLIMPIADA NÃO IRIA CORTAR NUNCA. OS CARAS SÃO MUITO BONS LEGAIS HONESTOS MELHORES DO MUNDO MAS SÃO 2 MALAS PRINCIPALMENTE O BERNARDINHO

  11. Keep Walking disse:

    Sem desmerecimento ao novato, filho do técnico, não concordei com o corte feito pelo Bernardinho. Ainda que seja pela parte técnica, não utilizar o melhor levantador do mundial é no mínimo inconseqüência.
    Abraço

  12. Carlos Sperandio disse:

    Impressionante. Lendo os comentários dos seus e de outros blogueiros nos posts daqui e no oleole me é cada vez mais claro: o internauta não sabe ler. Não compreende. Não entende. Nossa média de entendimento é quase nula. E não é um problema restrito ao Brasil. Vários comentários na versão americana (que é globalizada) do oleole mostram que as pessoas entendem o que querem do que o blogueiro escreve e deixa a visão do autor em total segundo plano. Cada um dos 11 comentários anteriores do seu post foi de um entendimento diferente. No mínimo, preocupante. Desmotivador. À propósito, tem um post meu de uns anos atrás aqui no blogdebola pedindo Bernardinho pra treinador da seleção, lembra? Risos.

    Abraços

  13. Mottahead disse:

    Carlos, não venha discutir a capacidade de entendimento do leitor. O seu artigo foi ruim mesmo e a comparação mais do q

  14. Mottahead disse:

    E a sua comparação mais do que infeliz.
    Vê se da próxima escreve sóbrio, %!@$&@#(estou fazendo o mesmo tipo de indução que você fez).

  15. Carlos Leonardo disse:

    Ah, as delícias do corporativismo…

    :-)

  16. mauricio disse:

    O filho do bernardinho já havia integrado o grupo e é atualmente o 3o. melhor levantador do Brasil. Ninguém manda embora o melhor levantador sem motivo e com certeza o grupo sabe o porque e se manteve unido, mesmo que jornalistas tentem o contrário. A comparação é absurda até pq o Filipão cortou o Romário, houve polêmica, porém terminou por aí.

  17. floripio alves disse:

    o comentario do mauricio, mostra que não entende de nada, atleta e tecnico é igual marido e mulher, o que acontece entre 4 paredes so os dois sabe.

  18. Marcelo disse:

    Concordo que o Brasil não é o país do volei. Aliás não existe um país do volei, não é um esporte que empolga muito pois é previsível demais.
    Porém temos que admitir que a maior parte do mérito da seleção estar no topo à algum tempo é do Bernardinho, o que não pode se dizer do Felipão que ganhou uma copa de presente do Ronaldo Fenômeno e da arbitragem. Além do mais Marcelinho não ficou devendo nada a Ricardinho.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo