Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2007

26/06/2007 - 16:42

Missão Copa América

Compartilhe: Twitter

Este blogueiro está de partida nesta terça-feira para a Venezuela. Vai acompanhar a Coa América de perto. Mais uma vez a convite do site de comunidade web 2.0 OleOle, apenas para boleiros (monte o seu blog). Desta vez, porém, todos os posts serão feitos lá. Então este endereço do blogdebola entra em recesso, e vale o outro endereço, o do OleOle.

Para acessar a cobertura nesta próximas três semanas, clique aqui na versão BlogdeBola do OleOle.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
24/06/2007 - 20:43

Três clássicos, três perguntas

Compartilhe: Twitter

– Perder a Libertadores é duro. Mas perder Grenal em casa é pior, certo?

– Ser goleado na final do Mineiro é duro de engolir, mas devolver logo no primeiro do Brasileirão é gostoso, hein?

– Ganhar e com gol de atacante ainda, for de casa, do time do Luxa dá para ir dormir feliz, né não?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
24/06/2007 - 17:02

Messi em alta; Robinho menos

Compartilhe: Twitter

O site oficial da Copa América está perguntando quem será a grande estrela da competição na Venezuela. Mais detalhes aqui

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/06/2007 - 15:44

Henry no Barcelona

Compartilhe: Twitter

A imprensa espanhola dá como informação confirmada. Thierry Henry será jogador do Barcelona por quatro temporadas. O Arsenal receberá 24 milhões de euros de indenização.

O Barça agiu rápido. É a cartilha do time que tem uma temporada medonha. Contrata um nome de peso e tudo se esquece.

Resta saber quem sai do time, pois é meio difícil de acreditar que o tripé Ronaldinho, Eto’o e Messi fique por inteiro. Meu palpite é que será Eto’o. Ronaldinho seria o segundo da lista e sou capaz de apostar que o Barça não se livra de Messi por nada.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/06/2007 - 12:51

Toques de mídia

Compartilhe: Twitter

1 – A Nike lançou ontem seu blog de futebol no Brasil. A idéia é criar conteúdo regional aqui no país com jogadores, times e produtos da marca relacionados com futebol. Clique aqui para conhecer. http://blog.nikefutebol.com

2 – A revista Placar de julho nas bancas nesta sexta traz um artigo sobre o site comunidade Ole!Ole! na página 37. Diz que o site é o ‘Orkut dos Boleiros’, além de ser o lugar ideal para quem ‘não aguenta mais as abobrinhas dos comentaristas de TV nas partidas e nas mesas redondas’ se expressarem e dizerem o que pensam. Outras informações sobre a Placar de julho, aqui

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
21/06/2007 - 12:16

Raça? Libertadores se ganha com técnica

Compartilhe: Twitter

Peço licença para reproduzir aqui um texto meu de 23 de março de 2007. Era sobre o São Paulo, mas para mim aplica-se bem ao Grêmio, a raça que jogou em toda a competição e aos demais times brasileiros após a final no Olímpico. Relevem jogadores que saíram de alguns clubes (por acaso Amoroso) e tentem focar na essência, que é:

Raça na Libertadores todo mundo tem. É default. Diferença mesmo faz a técnica.

Segue o texto (23/03/2007)

2005: O São Paulo conseguia seu tricampeonato na Libertadores. Na equipe, um discreto Danilo, que jogava uma a cada 3 partidas mais ou menos, mas que não negava a pecha de craque que os camisas 10 carregam. Vez por outra, fazia uma jogada inesperada, sem lógica, a parte mais bonita do futebol.

Aquele mesmo time contava com um Amoroso 18 meses melhor do que este do Corinthians. Também capaz de fazer coisas que não são para qualquer um. Em 92 e 93 eu nem vou lembrar a vocês os craques do time, pois não caberiam nesta página.

Brasileirão do ano passado. O São Paulo terminou a competição com um time com muito conjunto, raça e regularidade. Venceu o Brasileirão sem nenhum craque. Não precisou. A vontade era tanta que a vantagem sobre as outras equipes acabou inalcançavel. O time brigou, treinou, correu e mordeu mais que todo mundo.

Libertadores é diferente. E o maior vencedor de Libertadores do Brasil deveria saber disso. Na Libertadores, vontade, raça e conjunto é default. Todo mundo tem. Do Caracas ao Boca. Do Toluca ao Nacional.

Os times brigam, mordem, batem e correm demais. Quem faz a diferença então neste caso? Claro. Um craque. Dois craques. Três craques. Coisa que o São Paulo está arriscando em não ter nesta temporada.

Santos e Boca eu nem preciso dizer. Os dois camisas 10 mais importantes da América Latina estão nestes clubes, sem falar de Palacios e Kleber. Fora isso, Santos e Boca brigam, mordem, correm e batem como todos os outros. O Inter, mesmo em má fase, tem Fernandão e Pato. Pode ser que a dupla não vingue este ano ainda. Mas o Inter também tem craque.

Entre os quatro ditos favoritos antes de começar a Libertadores, só o São Paulo não tem um. Resta saber se a raça e a vontade de Souza, Leandro, Josué, Aloísio e cia será suficiente para um tetra.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
21/06/2007 - 00:26

Perdido por um… perdido por cinco

Compartilhe: Twitter

O chute do Diego Souza lá da esquina bateu na trave. O chute do Riquelme entrou. Não tem o que reclamar nem nada. O Grêmio não rendeu, jogou pouco, ficou ansioso e esqueceu de jogar no fim.

Lutou, é verdade. Mas sem objetivo e sem direção.

O Boca de Riquelme fez a diferença. E faz tempo que não vejo uma final com tamanha superioridade de uma equipe em relação a outra.

Parabéns ao hexa argentino e parabéns pela campanha do Grêmio até a semifinal contra o Santos. O Grêmio é grande demais para achar bom ser vice.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
20/06/2007 - 13:00

Três vídeos de goleiros

Compartilhe: Twitter

Neste link tem três vídeos de goleiros. O segundo sem dúvida é o melhor. No primeiro vídeo, o último lance, é um gol de goleiro que nem Rogerio Ceni fez, driblando o time inteiro…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
20/06/2007 - 11:57

Torço, mas ainda me esforço para acreditar

Compartilhe: Twitter

Claro que o Grêmio pode vencer por 3 x 0, 4 x 1 e até mesmo 4 x 0. Coisas do futebol. Mas é muito difícil. Faria deste, um feito para entrar para a história do futebol brasileiro e mundial. Uma virada a la Liverpool na final da Champions League contra o Milan em 2005.

De qualquer forma, o caminho obvio é não deixar jogar, exatamente como o Santos não jogou no Olímpico. De pressionar saída de bola, de colar no Riquelme. De preferência sem falta, chegando antes, que é como você mostra que está mais no jogo do que os adversários. Chegar antes na bola irrita muito mais um argentino do que pisar no calcanhar dele. É tudo o que ele quer num jogo como o desta noite.

Feito isso, é um bom caminho andado, mas não adianta se Tcheco, Diego Souza, Carlos Eduardo e Tuta não estiverem numa boa noite.

Digo mais. Quem sabe não será o dia de Amoroso, numa eventual entrada. Ele não tem jogado nada, mas todos sabem da sua estrela.

O jogo tem 90 minutos. Um gol a cada 30 minutos não é impossível. Mas é muito difícil.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
19/06/2007 - 15:34

Profissão Repórter (calmo)

Compartilhe: Twitter

Este vídeo, do repórter da CNN, tava no Kibe Loco e meu amigo Oliver (nem Twist, nem o Jamie, mas o dos livros raros) , mandou. Esta aí um cara calmo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo