Publicidade

Publicidade

Arquivo de julho, 2006

31/07/2006 - 19:33

Compartilhe: Twitter

Ano dele

Até que a France Football conseguiu pegar um ângulo bom do Ribéry na capa, né não?

A revista aposta que este será o ano dele. A julgar pela sua Copa, grandes chances mesmo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
31/07/2006 - 19:33

Compartilhe: Twitter

Ano dele

Até que a France Football conseguiu pegar um ângulo bom do Ribéry na capa, né não?

A revista aposta que este será o ano dele. A julgar pela sua Copa, grandes chances mesmo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
31/07/2006 - 12:04

Compartilhe: Twitter

Que pasa?

Interessante o comportamento dos principais jogadores argentinos em relação ao mercado de trabalho europeu.

– O Barcelona é dono do Saviola, mas não o quer. Já emprestou para o Monaco e para o Sevilha. Vai emprestar ao Racing ou a qualquer outro time que esteja interessado, menos o Real Madrid;

– O Aimar foi deixado para lá no Valencia e agora assume o cargo de craque do Zaragoza;

– Riquelme e Sorin ficam felizes da vida no Villarreal, um time que ainda que tenha se destacado ultimamente, está longe de figurar entre os grandes clubes do planeta;

– Maxi Rodriguez, no Atlético de Madri, também caberia num time de mais peso no cenário internacional.

– Crespo dificilmente será titular no Chelsea. Já não era no ano passado e agora que Shevchenko chegou, vai ser mais difícil ainda;

– Mascherano e Tevez jogam no futebol sul-americano ainda;

– Heinze, do Manchester, talvez o pior jogador da seleção argentina no Mundial, joga num time de ponta como o Manchester United. Lucho Gonzales e Cambiasso, que alternaram na vaga na Copa, também atuam em times de tradição (Porto e Inter).

– Messi, o prodígio, tem tudo para mudar esta ordem carimbando de vez a vaga de titular do Barça;

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
31/07/2006 - 12:04

Compartilhe: Twitter

Que pasa?

Interessante o comportamento dos principais jogadores argentinos em relação ao mercado de trabalho europeu.

– O Barcelona é dono do Saviola, mas não o quer. Já emprestou para o Monaco e para o Sevilha. Vai emprestar ao Racing ou a qualquer outro time que esteja interessado, menos o Real Madrid;

– O Aimar foi deixado para lá no Valencia e agora assume o cargo de craque do Zaragoza;

– Riquelme e Sorin ficam felizes da vida no Villarreal, um time que ainda que tenha se destacado ultimamente, está longe de figurar entre os grandes clubes do planeta;

– Maxi Rodriguez, no Atlético de Madri, também caberia num time de mais peso no cenário internacional.

– Crespo dificilmente será titular no Chelsea. Já não era no ano passado e agora que Shevchenko chegou, vai ser mais difícil ainda;

– Mascherano e Tevez jogam no futebol sul-americano ainda;

– Heinze, do Manchester, talvez o pior jogador da seleção argentina no Mundial, joga num time de ponta como o Manchester United. Lucho Gonzales e Cambiasso, que alternaram na vaga na Copa, também atuam em times de tradição (Porto e Inter).

– Messi, o prodígio, tem tudo para mudar esta ordem carimbando de vez a vaga de titular do Barça;

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 20:57

Compartilhe: Twitter

Gastou o trunfo

No final de semana que o São Paulo perdeu, o Inter empatou, o Cruzeiro perdeu, o Paraná perdeu, o Flu empatou e o Figueira perdeu. Bom para o Santos, que ganhou o jogo e terreno.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 20:57

Compartilhe: Twitter

Gastou o trunfo

No final de semana que o São Paulo perdeu, o Inter empatou, o Cruzeiro perdeu, o Paraná perdeu, o Flu empatou e o Figueira perdeu. Bom para o Santos, que ganhou o jogo e terreno.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 19:54

Compartilhe: Twitter

Nova ordem: desordem

por Mauricio Teixeira

O futebol brasileiro, com toda a modernidade de instrumentos, aparatos policiais, câmeras, juizados especiais, ouvidores, com todo o exemplo que vem de fora, com toda a excelência que foi a Copa do Mundo, anda para trás em termos de segurança nos estádios.

Vivemos de três doenças: os vândalos; a impunidade; e uma nova era de não saber perder.

– Os vândalos de sempre são os que estragaram o Gre-Nal, brigaram no Maracanã na quarta-feira; Só existem pela impunidade, afinal até eu consigo identificar os rostos vendo pela televisão.

– Os que não sabem perder são os tipos que interromperam o jogo do Corinthians contra o River. Muitas vezes pais de família tomados pelo ódio por um treco besta que é o futebol (e olha que eu vivo disso). Um tipo cada vez mais comum. Não existe apenas no Corinthians, pelo contrário. Qualquer time hoje que perde um jogo importante em casa corre o risco de ter seu patrimônio (incluindo jogadores) degradado pela sua própria torcida.

– Fico com a imagem da torcida da Alemanha saudando seus atletas derrotados em casa na semifinal da Copa do Mundo ou ainda a imagem de torcedores trocando de camisa após as partidas do Mundial. Imagens do mais puro fair play.

– Escapamos no Pacaembu. Escapamos no Beira-Rio. Mas não tenho dúvida que o Brasil caminha passos largos para uma tragédia em seus estádios. E espero sinceramente estar errado nessa.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 19:54

Compartilhe: Twitter

Nova ordem: desordem

por Mauricio Teixeira

O futebol brasileiro, com toda a modernidade de instrumentos, aparatos policiais, câmeras, juizados especiais, ouvidores, com todo o exemplo que vem de fora, com toda a excelência que foi a Copa do Mundo, anda para trás em termos de segurança nos estádios.

Vivemos de três doenças: os vândalos; a impunidade; e uma nova era de não saber perder.

– Os vândalos de sempre são os que estragaram o Gre-Nal, brigaram no Maracanã na quarta-feira; Só existem pela impunidade, afinal até eu consigo identificar os rostos vendo pela televisão.

– Os que não sabem perder são os tipos que interromperam o jogo do Corinthians contra o River. Muitas vezes pais de família tomados pelo ódio por um treco besta que é o futebol (e olha que eu vivo disso). Um tipo cada vez mais comum. Não existe apenas no Corinthians, pelo contrário. Qualquer time hoje que perde um jogo importante em casa corre o risco de ter seu patrimônio (incluindo jogadores) degradado pela sua própria torcida.

– Fico com a imagem da torcida da Alemanha saudando seus atletas derrotados em casa na semifinal da Copa do Mundo ou ainda a imagem de torcedores trocando de camisa após as partidas do Mundial. Imagens do mais puro fair play.

– Escapamos no Pacaembu. Escapamos no Beira-Rio. Mas não tenho dúvida que o Brasil caminha passos largos para uma tragédia em seus estádios. E espero sinceramente estar errado nessa.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 14:32

Compartilhe: Twitter

Doll Naldo

Cristiano Ronaldo foi cair logo na fúria dos ingleses, os mais implacáveis quando o assunto é difamar alguém em público. Cada dia, um capítulo por lá. Que tal um boneco chamado Ronaldo, que finge contusões e se joga na área e quando vc acha que é sério, levanta rapidinho?

Ps.: Valeu Bruno

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
30/07/2006 - 14:32

Compartilhe: Twitter

Doll Naldo

Cristiano Ronaldo foi cair logo na fúria dos ingleses, os mais implacáveis quando o assunto é difamar alguém em público. Cada dia, um capítulo por lá. Que tal um boneco chamado Ronaldo, que finge contusões e se joga na área e quando vc acha que é sério, levanta rapidinho?

Ps.: Valeu Bruno

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo