Publicidade

Publicidade
31/12/2005 - 19:01

Compartilhe: Twitter

Para começar bem o ano – palavras dos Mestres

por Carlos Sperandio Jr

Como alguns sabem, diferentemente do meu sócio de blogdebola, sou médico e não jornalista. Esse mês, ser médico me garantiu um presentão de final de ano.

Um encarte do Jornal do CRM-PR chamado Iátrico, comandado pelo competente e poilivalente Dr. João Manuel Cardoso Martins, um dos mais brilhantes professores que tive na faculdade, traz uma entrevista com nada mais nada menos que o Mestre Tostão.

Para quem ainda não sabia, Tostão é meu colega de profissão. Após grave lesão de descolamento de retina, o avante da seleção do tri decidiu cursar Medicina. Entre outras passagens ótimas da “enxuta e densa” entrevista, selecionei algumas para dividir com vocês:

Iátrico: É verdade que você jogava sem bola?
Tostão: Inventam cada coisa, não? Hoje todos falam em segunda bola, a do rebote, quando há um cruzamento. Se essa expressão fosse usual no meu tempo, talvez dissessem que era especialista em contra-atacar com a terceira bola.

Iátrico: Às minhas alunas de medicina costumo dizer que, se não quiserem ficar solteiras, precisam entender futebol. Afinal, na conversa entre homens, mulheres e futebol é uma preferência nacional. Volte a seu tempo de professor e explique-lhes a diferença entre habilidade, técnica, talento e criatividade.
Tostão: A técnica é o conjunto de fundamentos básicos (passe, drible, finalização, domínio de bola, desarme, etc). A habilidade é o uso da técnica diante de um obstáculo. A criatividade é a capacidade de improvisar, inventar e surpreender. O talento é a reunião de tudo isso. O craque é o que possui todas essas qualidades em um alto nível. Agora já estão habilitadas. (Sorriso. Tostão não ri).

Iátrico: Então o atleta que tenha apenas uma dessas características bem desenvolvida pode não dar certo?
Tostão: Sim. Veja, um jogador pode ser muito habilidoso e ter pouca criatividade. Parece craque mas não é.

Iátrico: Fora o interregno de sua formação médica, sempre foi uma pessoa com notoridade. Ganhou títulos, prêmios, Copa, embora com algumas decepções como qualquer ser humano. Qual o maior elogio que já recebeu?
Tostão: Foi numa das vezes que fui homenageado pelos alunos na formatura. Fora a Copa foi a maior alegria que já tive: “Você me ensinou o mais importante no curso médico, que é olhar para um paciente como um ser humano, e não só como um afetado de doença”. Mas, a propósito, também descobri que todo professor gosta de aplauso e que eu não fugia à verdade número um do ser humano: a vaidade. O professor, como o comentarista, sempre tem a ilusão de que o que ele fala é importante.

Se quiser ler a entrevista na íntegra clique aqui.

[]´s

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

3 comentários para “”

  1. Mauricio Teixeira disse:

    Sensacional! Sensacional! Sensacional!… fechou 2005 com chave de ouro. Até 2006!

  2. Marcio Neves disse:

    Está aí um homem que é bom em tudo que se põe a fazer. Tostão para Presidente!

  3. Mauricio Teixeira disse:

    hahaha. Boa Marcio. Tostão pra Presidente. BlogdeBola já entra na campanha para 2006

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo