Publicidade

Publicidade
27/05/2005 - 15:34

Compartilhe: Twitter

Sangue rubro-negro

por Maurício Teixeira

Já que meu sócio ficou constrangido, mando eu. Diego do Atlético-PR foi muito bem debaixo dos postes contra o Cerro pela Libertadores. Mas o que me chamou a atenção mesmo foi aquela pequena reunião que ele liderou um pouco antes do início da disputa de pênaltis. Gritou, incentivou, chamou alguns jogadores de aluguel de volta à roda e puxou o grito de guerra. Verdadeiro espírito de jogador ligado a um clube.

Certeza que o Atlético, apesar da pindaíba do Brasileirão, vai ser um adversário bem mais duro para o Santos. Uma batalha brasileira nas quartas digna do nosso futebol.

O Robinho deve tomar algum cuidado com o Cocito, que certa vez eliminou Kaká na bola e na violência. Mas certamente o Cocito deve tomar muito mais cuidado com o Robinho, pois o atleticano está mais lento e menos esperto do que há 4 anos e o menino de São Vicente é o que temos de melhor.

Além de Robinho, certamente mais uma vez a diferença deve ser Ricardinho. O Atlético-PR deveria tentar não deixar ele ficar com a posse da bola, pois todas as jogadas, seja com Deivid, Leo ou Robinho, começam com o capitão.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo