Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2004

03/06/2004 - 12:20

Compartilhe: Twitter

História antiga

Por Mauricio Teixeira

Ganhamos com Ronaldo em noite de Fenômeno. Ele é bom mesmo. Não tem pra ninguém. O melhor. E eu não vou perder aqui o meu tempo e o de vocês dizendo o quanto ele é bom, né?

E teve gente que disse que o Ronaldo acabou em 1998.

Teve gente também que disse que o Ronaldo acabou em 2000.

E teve gente que disse que ele acabou em 2001.

Aaaa… acho que tem um ou outro que disse que ele acabou em 2002 também.

***

Chega de Ronaldo. Agora só domingo

***

O Brasil jogou que nem parecia time do Parreira. Ficou sem a posse de bola, tomou sufoco nas bolas altas, deu espaço, mããããs… ganhamos bonito.

Ganhamos e o show só não foi maior porque o Gaúcho não estava e o Kaká acabou sobrecarregado na função de fazer a ligação.

Não ganhamos de mais também porque o Juninho Pernambucano estava tímido e o Luis Fabiano estava com as dez nas costas, voltando para marcar e impondo respeito (na trombada) com a pior zaga argentina que já vi.

Atrás, não fomos mais firmes porque o Roque Junior ainda está fora de ritmo. E porque o Dida segue com aquela insegurança na hora de sair.

O Dida é uma espécie de Shaquille O’Neal das traves. É o melhor do mundo, mas na hora do arremesso livre é motivo de chacota. Por essas e outras, o Marcos ainda é o titu.

***

Aliás, o Brasil é um dos melhores dos últimos anos. E a Argentina, uma das piores. Mas, quando a bola rola, nada disso parece ter lógica ou importância. O jogo poderia ter sido tanto 4 x 0 quanto 2 x 2. Brasil x Argentina é a própria definição de um clássico.

***

Que venha o Chile. E, acredito, vai ser a vez do Luis Fabiano, do Kaká e do Juninho Pernambucano jogarem.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
01/06/2004 - 19:22

Compartilhe: Twitter

Toques de mídia, parte 2

por Mauricio Teixeira

Revista nova na praça. A Revista 10 da Conrad Editora chegou para ser a mais nova opção de revista de futebol de país. Viva! O país do futebol tem que ter pelo menos 4 opções de revistas de futebol.
Menos que isso é vergonhoso! Numa primeira leitura, rápida, achei a proposta da revista diferente, sofisticada. Matérias especiais, nos quatro cantos do mundo (Palestina e Itália entre elas) assinadas por alguns figurões não necessariamente do mundo da bola, como Marcelo Rubens Paiva e Washington Olivetto. Tem também PVC, claro. A diretora da revista é a Noelly Russo e o editor: Paulo César Martin. Recomendo a leitura.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo