Publicidade

Publicidade

Arquivo de março, 2004

06/03/2004 - 11:44

Compartilhe: Twitter

Os melhores do mundo dos tempos do Blog de Bola

por Mauricio Teixeira

O Blog de Bola completa nesta semana 1 ano de vida. Sem grandes devaneios, pegando o gancho da polêmica futebolística da vez – a lista do Pelé (ou Edson), peço licença para fazer uma lista mais real: OS TOP 10 DO MUNDO DA BOLA nestes últimos 12 meses. Só vale o ano que o Blog de Bola esteve no ar…

1 – Ronaldo – o Fenômeno neste tempo ganhou o Campeonato Espanhol do ano passado. Mais difícil e importante: recuperou a confiança de todos, não se machuca há dois e é o máximo artilheiro da Europa na atualidade. Sem discussão para mim!

2 – Zidane – se você não sabe pq Zidane está nesta lista, não sou eu que vou conseguir explicar. Agora, se você acha que ele deveria estar em primeiro, também não serei eu a contestar

3 – Alex – o curitibano mais mineiro da temporada foi tema de alguns posts do Blog de Bola nestes 12 meses não foi à toa. Jogou muito, só fez golaço e foi campeão de tudo.

4 – Ronaldinho Gaúcho – desde agosto de 2003, quando estreou no Barcelona contra o Athletic Bilbao em San Mamés, nosso mais feio jogador de todos os tempos tem sido o mais mágico deles. Melhor – magia aliada ao resultado! Aposta certa para melhor do mundo em breve.

5 – Nedved – Sem patriotada, o louro da Juventus de Turim precisa entrar em qualquer lista.

6 – Kaká – Ele ficou boa parte do Período Blog de Bola sem jogar no São Paulo. Depois, o banco no Milan. Quando entrou, porém, mudou a cabeça do técnico milanês, que tanto gosta de fazer rodízio de titulares no mais poderoso elenco do Planeta. Agora é diferente: Kaká e mais 10!

7 – Henry – o frenchman que pilota o ataque do Arsenal esteve numa fase excepcional nos últimos 12 meses. Ele é tão bom quanto o time.

8 – Luis Fabiano – mais um destaque brazuca na lista. Entra técnico, sai técnico. Com Ricardinho e Kaká ou sem. Ele mantém o nível. Gostem dele ou não, precisa estar na lista

9 – Beckham – não é fácil sair de um time e de um país em que você é praticamente o dono para se acertar num time com Raul, Figo, Ronaldo, Zidane e cia. David foi e venceu! Encontrou seu espaço e, pode-se dizer, é mais um rostinho bonitinho que funciona naquele meio-campo.

10 – Robinho – para terminar, preciso fazer justiça ao garoto do Santos. Com apenas 19 anos, ele já é uma realidade. Mesmo participando do fiasco do Pré-Olímpico, nos últimos 12 meses, evoluiu demais e já não é há tempos um jogador apenas de pedaladas.

Esqueci alguém? Tem perna de pau que você não gosta na lista? Conteste! Mande a sua!

abs, valeu pelas visitas e por fazer deste o hobby mais legal que dois apaixonados por futebol (já não tão moços assim) poderiam ter…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
03/03/2004 - 22:11

Compartilhe: Twitter

Duas frases e uma sentença ou uma passada pelo Paranaense

Por Carlos Sperandio Jr

CURITIBA – Direto da terra da Ópera de Arame e da Boca Maldita, escrevo para lhes dizer o que se passa no mundinho futebolístico local. Os três grandes da capital estão em situações distintas, com ênfase a má fase do Paraná Clube que não merece uma frase e sim uma sentença (de morte).

Começo pelo coração. O Atlético está bem nessa temporada. É o time da elite brasileira há mais tempo invicto, não tomou gols em seu domínio e segue fazendo um trabalho bem programado pelo técnico Mário Sérgio, o vesgo. Tem como expoentes do elenco os selecionáveis Dagoberto (que ainda não estreou) e Ilan, além do artilheiro Washington, finalmente recuperado de sério comprometimento cardíaco. Como não tem outros compromissos fora do estadual, tem tudo para levantar o caneco de 2004 de maneira invicta, terceiro da sua história. Se mantiver a trajetória, a equipe promete para o Brasileirão.

O Coritiba demorou mas pareceu ter recobrado o caminho de acertos que o presenteou com a vaga na Libertadores no ano passado. Apesar das conturbadas contratações do treinador Antônio Lopes e do goleador Aristizábal, a equipe embalou após o tropeço inicial do estadual (derrota para o Iraty) e da Libertadores (derrota para o Sporting Cristal). Está confiante para a partida frente o Rosario Central na Argentina, nesta quinta-feira. Esse jogo define a situação coxa-branca. Derrota praticamente elimina o time da competição continental e afeta os ânimos para o estadual. Vitória é combustível para ambas as disputas.

O Paraná é uma incógnita. Clube de maior expressão na década de 90, quando foi fundado e conquistou um pentacampeonato paranaense, enfrenta agora uma crise administrativa sem precedentes. Primeiro, dentro de campo, disputa um quadrangular para não cair de divisão estadual. Depois, especula-se que irá fechar acordo de patrocínio com o apresentador Carlos Massa, o Ratinho. É de rir. Desse jeito é provável que o Clube até então tido como o de maior patrimônio de Curitiba vire uma fabriqueta de dinheiro para terceiros. Sorte minha que não sou paranista.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
02/03/2004 - 12:32

Compartilhe: Twitter

Renato Mauricio Prado e Pedro Woiski

Como nem todo mundo lê o caderno de esportes do Globo (mas deveria), o Pedro ‘Vovô’ Woiski, flamenguista feliz, mandou por email uma histórinha divertida que o (também flamenguista) Renato Maurício Prado apurou direto da Bahia. Segue!

O craque baiano desfilava pelas ruas de Salvador a bordo de sua Mercedes, ao lado de uma louraça belzebu. De repente, o sinal fecha, ele pára e toca o seu celular. Era a sogra, pedindo para falar com a filha:
— Ah, dona fulana, ela não está comigo, não. Estou na rua — responde ele.
— Estou vendo, pois estou parada atrás de você no sinal. Então quer dizer que essa mulher aí do seu lado não é a minha filha?!?! — dispara a jararaca.
— Ih, dona fulana, a senhora deve estar enganada. Não sou eu, não — tenta escapar o don juan.
— Como não? Estou atrás do seu carro, vendo a sua cabeça. Esqueceu também que eu sei a sua placa?
O sinal abre e o jogador pisa fundo:
— Ih, dona fulana, não estou com o meu carro, não. Emprestei a um amigo, que é muito parecido comigo. A senhora nem conhece. Estou do outro lado da cidade. Mais tarde a gente se fala, tá? Tenho que desligar…
O próprio jogador foi quem contou a história, rindo e comentando, com um suspiro de alívio:
— Ainda bem que a minha Mercedes anda bem mais que o Corsinha da velha! Já imaginou se ela consegue emparelhar???

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
Voltar ao topo