Publicidade

Publicidade
12/02/2004 - 19:59

Compartilhe: Twitter

Cinco considerações sobre a Libertadores (por ordem de competência)

por Mauricio Teixeira

1 – O Cruzeiro tem o melhor elenco mais o melhor técnico. Está sobrando enquanto ainda não se acertou. Quando engrenar, na segunda fase, vai ser difícil segurar!

2 – O Santos tem o melhor conjunto. É o time mais afinado, com um técnico que conhece seus jogadores. Mas perde pelo fato de já ser o mais manjado pelos adversários. Perde também pelo certo desgaste dos jogadores, todos com cara de “segundo semestre quero ir para a Europa.”

3 – O São Paulo é surpresa do ano. Surpresas podem ser agradáveis ou não. De objetivo para o bem: bons jogadores, bom técnico, muita motivação, um grande goleador; Para o mal: pouca experiência aliada ao fato de ser o mais pressionado dos 5 times pela torcida e dirigentes (ambos não vêm colaborando muito nos últimos anos, não é Kaká?).

4 – O São Caetano tem como principal qualidade saber o seu lugar. Dentro ou fora de casa, vai correr muito, jogar fechadinho e com muita vontade. Exatamente como reza a cartilha do Tite. Não vai ser fácil eliminar o time. Mas mais difícil ainda será ver o Azulão campeão.

5 – O Coritiba é o favorito para ganhar o quesito “fazer tudo errado”. Vem fazendo tudo certo há dois e agora jogou um belo trabalho fora. Começa com o Antonio Lopes, que não funciona com time de cabeça-de-bagre. Lopes precisa de craques pois não sabe armar seus times sem eles (citar a troca de esquema no Peru é chutar cachorro morto). O presidente Gionédis também não segurou Tcheco, Odvan, Bonamigo, Lima, Jackson e Marcel. Bom ou ruim, era a base de dois anos. Para tentar contornar, contratou um ‘salvador da pátria’, Aristizabal, que periga perder 2 dos 6 jogos da primeira fase. Até lá, pode ser tarde demais.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo